sábado, 30 de novembro de 2013

terça-feira, 15 de outubro de 2013

VELAS

As Velas
Velas
Desde os primórdios da humanidade, as velas, eram utilizadas para iluminação, devoção e conforto. No início de tudo a aproximadamente 50.000 anos segundo algumas pinturas encontradas em cavernas as velas já eram utilizadas mas um pouco diferente daquilo que conhecemos hoje, criada principalmente para funcionar como fonte de luz duradoura, eram usados recipientes da época com gordura animal, tendo como pavio algumas fibras vegetais.
Foram descobertas por arqueólogos velas em formato de bastão no Egito e na Grécia em formato de bastão, estas foram descobertas por arqueólogos e datam aproximadamente serem do ano 3.000 a.C.. E alguns estudiosos afirmam que na Grécia elas eram utilizadas em comemorações feitas a Ártemis, a Deusa da Caça, reverenciada no 6° dia de cada mês, e com elas representavam a luz do luar.
De lá para cá, as velas sempre foram utilizadas como fonte de luz, e hoje são usadas como artigos de decoração ou como acessórios em cerimônias religiosas e comemorativas. Há vários tipos de velas, produzidas em uma ampla variedade de cores, formas e tamanhos, mas, quando mencionamos velas artesanais, nos referimos àquelas feitas manualmente, onde é possível encontrar modelos pouco convencionais, usados para diferentes finalidades, tais como: decoração de interiores, purificação do ambiente, manipulação da energia com base em suas cores e essências e etc.
A Vela na Magia
Em função da importância na vida diária, as velas acabaram rodeadas de mitos e lendas. Através dos tempos ela foi se transformando num símbolo de iluminação, sabedoria, conhecimento e elo de ligação com a Divindade, enquanto a escuridão simbolizava as trevas, a ignorância e a falta de clareza.

Acender velas é uma das mais antigas e mais usadas artes mágicas. A maioria das pessoas, em alguma ocasião já praticou a magia das velas. Até num singelo ato de apagar velinhas de um bolo de aniversário e fazer um pedido.
A magia com velas é uma arte complexa, e vários bons livros foram escritos sobre o assunto. Entretanto, apresentamos aqui as bases, uma vez que elas podem ser incorporadas a outras formas de magia. É também um método bem prático.
A magia com velas acesas funciona com o auxílio do fogo ( O fogo é o símbolo do plano mental e da atividade, e através de seus elementais da natureza, as Salamandras, tem o poder alquímico de transmutação e transformação de energia), das cores (a vela em si) e outros itens que deseje utilizar. É habitual utilizar ervas em conjunto com a magia de velas, pois são um reservatório de energia por si só.
A Vela Ideal
Como já dito antes existem velas de diversos tamanhos, formas e desenhos; com uma visita a uma boa loja de velas comprovará. Entretanto, quando as velas se destinam à magia, as variações decuplicam. Há velas com figuras, em formato de crânios, de múmias, até mesmo velas do "demônio" e em crucifixo!

Existem velas de todas as cores, desde o mais puro branco até o mais rico preto, em tamanhos que vão desde um palito de dentes até monstruosas velas de um metro.

Todas são belas, todas são caras e todas são desnecessárias. Velas simples - disponíveis em supermercados e lojas - são ideais para o uso.

Em termos de magia, velas de cera de abelha são as mais indicadas, pelo simbolismo da abelha e pelo fato de serem produtos naturais. Infelizmente, velas de cera de abelha são inacreditavelmente caras e, a não ser que possua colmeias e habilidades para confeccionar velas, as velas normais servem.

Como cada cor tem atributos diferentes, será necessário adequar a vela à sua necessidade. Há dois métodos a serem seguidos. Associe a necessidade a um dos elementos e utilize a cor daquele elemento.

De qualquer modo, certifique-se de que suas velas não possuem lascas ou estejam quebradas - isto destrói o poder das velas.

Ao comprar velas para uso em magia, tente mantê-las num local especial onde não sejam manuseadas.
Veja mais:


Amarelo
Intelecto, criatividade, unidade, trazendo o poder da concentração e imaginação para o ritual; feitiços que envolvam confidências, atração, charme, persuasão, aprendizagem, quebrar bloqueios mentais. Em geral para estimular os estudos. Simboliza também a energia solar, ação, inspiração e mudanças súbitas. Dia da semana: Domingo.
Dourada ou Amarelo Claro
Ativa a compreensão e atrai as influências dos poderes cósmicos; beneficia RITUAIS para atrair sorte ou dinheiro rapidamente. Simboliza a energia solar. Poderes divinos masculinos, feitiços e RITUAIS para neutralizar a negatividade, encorajar, ESTABILIDADE e atrair as influências da Deusa.
Azul
Espiritual, para RITUAIS que necessitam de harmonia, luz, paz, sonhos, saúde, magia que envolva honra, bondade, tranqüilidade, verdade, conhecimento, proteção durante o sono, ESTABILIDADE no emprego, sabedoria, poder oculto, proteção, compreensão, fidelidade, harmonia doméstica. Dia da semana: Quinta-feira.
Azul-Marinho
Cor da inércia, para parar pessoas ou situações; para RITUAIS que necessitam de um elevado estado de meditação, neutraliza a magia lançada por alguém, quebra maldições. mentira ou competição indesejada. Energia de Saturno. Azul Royal Promover alegria e jovialidade; use para atrair energia de Júpiter ou para qualquer energia que você queira potencializar.
Azul Claro
Cor espiritual; ajuda nas meditações de devoção e inspiração; traz paz e tranqüilidade para casa para casa. Erradia a energia do signo de aquário, sintetiza as situações.
Branco 
Alinhamento ESPIRITUAL , meditação, divinação, exorcismo, feitiços que envolvam cura, paz, pureza, alto astral, consagração, clarividência, verdade, força ESPIRITUAL , energia lunar, LIMPEZA , saúde, poder, totalidade. Em geral para todos os pedidos e quando você não souber a cor correspondente para o seu pedido. Dia da semana: Quarta-feira.
Laranja 
Feitiços para estimular energia, alcançar metas profissionais, justiça, sucesso. Em geral para a criatividade.
Marrom
Feitiços para localizar coisas perdidas, para melhorar os poderes de concentração e telepatia, proteção de familiares e animais domésticos. Equilíbrio para RITUAIS de força material, elimina a indecisão, estudo e SUCESSO financeiro.
Preta
Para afastar mau olhado, limpar a negatividade, abre os níveis do inconsciente, usado em RITUAIS para induzir um estado de meditação, simboliza a reversão, desdobramento, discórdia, proteção, libertação, repelindo a magia negra e as formas mentais de energia negativa. Atrai a energia de Saturno; Representa a Deusa.
Púrpura ou roxa
Manifestações psíquicas, CURA e feitiços envolvendo poder, idealismo, progresso, quebra de má sorte, proteção, honra, afastar o mal, adivinhação, contato com entidades astrais. Energia de Netuno. Dia da semana: Quarta-feira.
Verde
Feitiços que envolvam fertilidade, sucesso, sorte, rejuvenescimento, dinheiro, ambição, saúde, finanças, cura, crescimento, abundância, generosidade, casamento, equilíbrio e harmonia. Em geral para os desejos de CURA e sorte.
Verde Esmeralda
Importante componente num RITUAL venusiano, atrai AMOR , fertilidade e relação social.
Verde Escuro
Ambição, ciúme, cobiça, inveja, coloca as influências dessas forças em um ritual.
Vermelho
Saúde, energia, potência sexual, paixão, AMOR , fertilidade, força, coragem, vontade de poder, aumento do magnetismo em um ritual, energia dos signos Áries e Escorpião.
Cinza
Cor neutra ajuda a meditação, na magia, esta cor simboliza confusão, mas também neutraliza as forças negativas.
Prateada ou Cinza Clara
Feitiços que atraem o poder de influências cósmicas, RITUAIS de honra e deidades do sol, remove a negatividade e encoraja a estabilidade, ajuda a desenvolver as habilidades psíquicas. Atrai a energia da Grande Mãe. Vitória, meditação, poderes divinos femininos.

A LUA

A Lua


Os homens começaram a observar a Lua nos primórdios da Humanidade, a famosa representação da Grande Mãe com data de 20.000 a.C encontrada na França que mostra a Deusa segurando um chifre de bisão com treze entalhes, correspondente as treze lunações de um ciclo solar. Diferente da constante presença do Sol, a Lua mostra mutantes aparições com suas faces diversas e sua Luz misteriosa fascinam e intrigam os homens que habitam toda a terra. Muitos povos da antiguidade, comungavam do fascínio e da reverencia pela Lua. Havia um elo que ligava a Lua a fertilidade, quando deixaram de ser coletores a humanidade começou a perceber que em algumas lunações a Terra era mais fértil, e as mulheres tinham influência da Lua em seu ciclo menstrual.Essa ligação direta das mulheres coma Lua as fizeram durante muito tempo serem sacerdotisas, curandeiras, profetisas, guardadoras dos calendários, conselheiras sobre as datas corretas para os plantios, colheitas e caçadas. Os ciclos Lunares eram a maneira mais fácil de marcar a passagem do tempo. Com um padrão rítmico a Lua formou a semana de sete dias e o mês de vinte e oito dias, equivalente ao ciclo menstrual da maioria das mulheres, um mês durava de uma Lua Nova até a seguinte, cada quarto durava uma semana e treze lunações formavam um ano. Cada lunação era nomeada de acordo com suas características, aparência, qualidades, nomenclatura esta mantida até hoje pelos povos Nativos principalmente entre os índios norte-americanos (xamãs). As mudanças ocorridas nos corpos das Mulheres eram ditas como imitação das fases da Lua.
                              



Lua dos Signos





Lua em Áries

Esta Lua é excelente para a realização de feitiços que envolvam autoridade, liderança e projetos futuros e renascimento. É também uma ótima fase para os feitiços que envolvam cura e saúde, principalmente das doenças que envolvam a face, o cérebro e a cabeça. As velas utilizadas neste período deverão ser de cores vermelho e vinho, tendo o ferro como metal totem.


Lua em Touro

Esta é uma Lua excelente para realizar todo e qualquer encantamento de amor e também aqueles que envolvam dinheiro, bens materiais e trabalho. É também excelente para encantamentos que envolvam saúde e cura, principalmente nas doenças de garganta, pescoço e ouvido. As velas utilizadas deveram ser verdes e o metal totem será o cobre.

Lua em Gêmeos

Esta é uma excelente lua para os que pretendem realizar feitiços relacionados com a comunicação, atividades públicas e viagens. Lua especialmente propícia para os rituais de cura, nas doenças de coluna, braços, mãos e pulmões. As velas utilizadas nesse período devem ser cor de rosa claro e o metal totem será o mercúrio.

Lua em Câncer

Esta é uma lua ideal para aqueles que pretende realizar encantamentos relacionados com a família e proteção doméstica. Ótimo tempo para feituras de rituais em louvor a divindades lunares. Ideal para os feitiços que envolvam saúde e cura de doenças no estômago e peito. As velas utilizadas deveram ser de cor prateada, cinza ou branca. Sendo a prata seu metal totem.

Lua em Leão

Esta é uma lua ótima para os que pretendem realizar encantamentos relacionados com poder sobre os outros, autoridade, coragem, fertilidade e maternidade. Lua propícia para os encantamentos relativos a saúde e curas de doenças do coração. As velas utilizadas nesse período devem ser de cor amarelada, laranja ou dourada. O ouro é seu metal totem.

Lua em Virgem

Esta é uma lua extremamente propícia para quem pretende realizar os encantamentos que envolvam trabalho, saúde e estudos. Lua também muito propícia para rituais de cura das doenças ligadas aos intestinos e sistema nervosos. As velas utilizadas devem ser de cor azul escura, tendo no mercúrio seu metal totem.

Lua em Libra


Esta é uma lua ideal para quem pretende realizar encantamentos relacionados com trabalhos artísticos, justiça, sociedades, uniões e equilíbrio emocional. Lua muito propícia para encantamentos que envolvam saúde e cura de doenças dos rins. As velas utilizadas no período deverão ser de cor azul marinho, tendo no cobre o seu metal totem.
Lua em Escorpião

Esta é uma lua propícia para aqueles que pretendem realizar encantamentos relacionados com a sexualidade, poder, crescimento espiritual e transformações pessoais. Lua ideal para fazer feitiços que envolva saúde e cura de doenças dos órgãos reprodutores. As velas utilizadas deveram ser de cor vermelha ou preta. O ferro é seu metal totem.
Lua em Sagitário

Esta é a lua propícia para os que pretendem realizar encantamentos que envolvam viagens, publicações, justiça, atividades esportivas e fidelidade. Excelente para feitiços que envolvam saúde e cura das doenças do fígado. as velas utilizadas nesse período devem ser de cor púrpura ou azul bem escuro, tendo no estanho seu meta totem.

Lua em Capricórnio

Esta é a lua ideal para aqueles que pretendem realizar encantamentos ligados a ambição, carreira, política e organização. Excelente lua para realizar encantamentos que envolvam saúde e cura das doenças dos joelhos, ossos, dentes e pele, tendo no chumbo seu metal totem.

Lua em Aquário

Esta é uma lua ideal para encantamentos que envolvam liberdade, ciência, resolução de problemas expansão de dons, amizades e banimentos tanto de doenças como de velhos hábitos. Lua ótima para os feitiços que envolvam saúde e cura das doenças de sangue. As velas utilizadas nesse período devem ser de cor azul clara. Tendo o urano o seu metal totem.

Lua em Peixes
Esta é a lua para quem pretende realizar encantamentos que envolvam mensagens através dos sonhos, clarividência, telepatia, música e arte. Lua também muito propícia para feitura de feitiços que envolvam saúde e cura das doenças dos pés. As velas utilizadas devem ser de cor azul claro, tendo no estanho o seu metal totem.

WICCA HOJE

A Wicca na atualidade

As práticas Pagãs, dando destaque maior à Wicca, se expandiram de uma forma inacreditável pela América do Norte e Europa. Hoje o número de Bruxos somam aproximadamente 250.000 nos EUA, ultrapassando inúmeras religiões tidas como convencionais, dentre as quais o Budismo e o Universalismo Unitário. O Censo canadense de 1991 registrou 5.530.000 Neo-pagãos que seriam compostos principalmente de Wiccanianos, outra pesquisa realizada em 1997 constatou a existência de 12 milhões de Bruxos em todo o mundo. Porém, acredita-se que o número atual é muito maior, pois muitos não expõem sua condição religiosa publicamente. A Wicca é formada por grupos de tradições religiosas, alguns estão fortemente estruturados, enquanto que a maioria é eclética. Muitos, talvez a maioria dos Wiccans sejam praticantes solitários.Os Wiccans adoram uma deusa e seu consorte, um deus corníferoSeu símbolo principal é o pentagrama ereto (uma estrela de cinco pontas com duas pontas para baixo e uma para cima), às vezes dentro de um círculo para dar forma a um pantáculo.Seus grupos são chamados covens, sua regra de comportamento é chamada Rede Wicca que significa : "faça o que desejar, desde que não prejudique ninguém, inclusive você mesmo". Aos Wiccans não é permitido dominar, manipular, controlar, ou prejudicar o outro.

A Wicca sustenta-se sobre 3 conceitos básicos:
1) O papel preponderante da Deusa em suas práticas e ritos em vez de um Deus masculino, cultuando também os Antigos Deuses da natureza e o Deus Cornífero, considerado filho e consorte da Deusa;
2) A utilização da Magia Natural como forma de atingir nossos desejos e mudar os fatos;
3) A crença na reencarnação, vista não somente como uma forma de evolução, mas também como o desejo de retornar no mesmo tempo e local das pessoas amadas.

Os propósitos da Wicca são mostrar a necessidade da reconexão com a natureza, com os ritmos e ciclos naturais do Sol e das Estações e a busca de um novo equilíbrio do homem com o seu meio ambiente.A Roda do Ano representa o sagrado círculo onde a Deusa virgem concebe seu filho, o vê crescer, se apaixona por ele, até que a morte leve-o a Terra da Juventude Eterna, para novamente renascer.Muitas pessoas tem dificuldade de aceitar que o deus morra, por não entenderem que ele realmente é Eterno - tão eterno quando a natureza. Ele sacrifica-se para dar continuidade a própria vida, fechando o Sagrado Círculo - Criação, crescimento, apogeu e declínio. A Destruição do velho revigora a força Natural, pois este é substituído pelo novo.

Os Elementais

  Os Elementais da natureza

No início dos tempos da civilização, a humanidade teve oportunidade de permanecer muito tempo em contato com a natureza e suas forças e estavam bem a par do relacionamento místico do homem com os "espíritos" da natureza. Essas presenças faziam parte da vida cotidiana e eram percebidas nos bosques, no fogo, na água, no ar, na terra e nas mãos curadoras de nossas avós. Muitas comunidades indígenas, ainda conservam a crença nestes seres espirituais que habitam os distintos elementos da Natureza. Sua perspectiva é tão atual, que hoje a chamamos de "ECOLOGIA", uma ciência que tenta explicar ao mundo os motivos pelos quais devemos respeitar a Mãe Natureza, pedindo também a nossa colaboração para protegermos tudo e todos que aqui vivem.



A magia é uma ciência milenar que é muito mais do que retirar coelhos de uma cartola, mas investiga as Fadas como "seres elementais" e cataloga-as como "elementais do Ar". Menciona Gnomos e Duendes como "elementais da Terra"; as Sereias e as Ondinas como "elementais da Água"; as Salamandras como espíritos que habitam o fogo e nos transmitem mensagens através das chamas das velas. A magia diferencia ainda, os anjos dos outros espíritos naturais, explicando que os últimos, pertencem ao reino celestiais.

Os investigadores do Mundo das Fadas, são hoje conhecidos como parapsicólogos, que comprovam através de experimentos sua existência e ação. Sabe-se ainda, que as fadas são difíceis de serem descritas, pois suas aparições são muito rápidas, como um ligeiro resplendor. Como são seres da natureza, gostam de fixar residência em bosques ou curso de rios, mas há fadas nas cidades, em parques, em jardins e podem chegar até dentro de nossas casas se soubermos chamá-las adequadamente.



Mas quem realmente crê nas Fadas? Além de mim, é claro!, poucas são as pessoas que têm a capacidade deste "pensar mágico". Não os culpo, pois nossos próprios filhos hoje, já não têm mais tanto contato com a Natureza como antigamente. É quase impossível arrancá-los do computador ou do vídeo-game, falo por experiência própria. Já os adultos, preocupados com o vai-e-vem do dólar e com as angústias do dia a dia, adormeceram suas mentes para perceber ou apreciar este tipo de energia tão sútil.

Mas o homem já foi um sujeito curioso, que um dia olhou para as estrelas e imaginou que podia tocá-las. Invadidos pelo "pensar mágico", criou telescópios para olhar mais de perto e desenhou mapas. Depois, desejou viajar pelo espaço, para ficar mais pertinho de Deus. Construiu, para tanto, foguetes e acabou alcançando a Lua. Todos estes avanços comprovam que qualquer coisa antes de existir na esfera física, deve primeiro ser criada em nosso pensamento mágico. É O MÁGICO PENSAR QUE CRIA A REALIDADE!



Proponho a todos alguns momentos de "pensar mágico". Vamos então, pedindo respeitosa permissão, navegar pelo Mundo Mágico dos Elementais da Natureza!

      Os Elementais (Devas) Da Natureza

Elemental significa “Espírito Divino”. El = senhor; mental = vibração mental superior. Estes são os espíritos da natureza. Deus, concedeu a três Reinos, paralelamente, a oportunidade de evolução e estes três Reinos são: Elemental, Angelical e Humano.

Os Elementais são os dinamizadores das energias das formas e integram-se aos Elementos da Natureza.



Devemos a Paracelsus, Theophrastus Bombastus Von Hohenheim, químico e médico, nascido na Suíça em 1493, a criação da denominação classificatória dos elementais. De acordo com Paracelsus o Povo das Fadas conhecidos das lendas eram uma espécie de seres astrais que não poderia ser classificada propriamente de "espíritos" por possuírem corpos constituídos da quintessência a parte mais sutil de cada um dos elementos da Natureza chamada de éter.

Os espíritos elementais se criaram para servir os seres humanos com amor. Estão relacionados com nossas forças e capacidades elementais. Nos ajudam a reconhecer com que elementos estamos em consonância e com quais é necessário equilibrar nossas energias.

O trabalho com os elementos e os elementais é fundamental. Qualquer pessoa que empreende o caminho da iniciação topará cedo ou tarde com esse princípio. Quando, por exemplo, uma pessoa é posta à prova e seus sentimentos são analisados, intervêm as Ondinas e os seres do Elemento Água. Em iniciações, nas quais o ser humano aprende a libertar-se de suas cadeias terrestres, o acompanham os gnomos. As sílfides, os elementais do Ar, põe a prova o seu espírito, seus pensamentos e sua fé, as salamandras lhe enviam lições de amor através de ondas. Quando a alma quer aprender a libertar-se da vontade da natureza inferior e das prisões da matéria para elevar-se com sua força verdadeira, os seres elementais são de grande ajuda.

                  Os elementais da Terra

Picture
O elemento Terra é parte de nós e nós somos parte dele. Nosso corpo é nosso traje terrestre, é o templo de luz de nossa alma. De acordo como utilizamos nossa luz, nossa força e nosso poder, se mostrarão em nosso contorno os seres elementais da terra. Nós os criamos com nossa atitude. Ao olhar o mundo, vemos o espelho de nossa alma. Podemos reconhecer onde repousa nosso olhar, nosso foco. Podemos curar e transformar, ou matar e destruir. Tudo o que fazemos afeta o estado geral da Terra, se reflete tanto no microcosmo como no macrocosmo.

Podemos pedir aos seres elementais que nos ajudem e nos apóiem, se quisermos equilibrar em nós o elemento Terra. A iniciação á Terra é a morte ritual; o iniciado experimenta a força da vida real e a imortalidade de sua energia. Para os iniciados, a morte é um passo até outro ciclo, para os não iniciados a morte é uma despedida dolorosa e para sempre.

Os elementais da terra são todos os tipos de gnomos, duendes, trolls, que protegem as grandes forças da terra; são as fadas da terra, que renovam as forças da terra; os elfos de luz, que protegem as plantas medicinais; os elfos escuros, que vigiam os tesouros que se encontram nas profundezas da Mãe Terra, etc. Todos eles mantêm uma estreita relação com nosso planeta e um conhecimento profundo de suas forças originárias.

Eles existem nos gêneros masculinos e femininos e possuem as seguintes características: são pequenos ou muito grandes, podem trocar de forma, sua pele pode ser enrugada e marcada como uma pedra ou rocha. Normalmente são alegres e possuem bom humor e gostam de fazer brincadeiras com as pessoas. Gostam de viver em regiões montanhosas, desfiladeiros, raízes de árvores, etc. Adoram repetir rimas em forma de canção e a maioria deles são exímios artesãos.

Podem ainda, tomar a forma de animais e rapidamente tornarem-se invisíveis ou visíveis, assim como podem fazer desaparecer objetos. Eles são os guias de nossos tesouros interiores e das verdadeiras riquezas.


ORAÇÃO DOS GNOMOS


"Rei invisível, que tomaste a terra para apoio e que cavaste os seu abismos para enchê-los com a vossa onipotência; vós, cujo nome faz tremer as abóbadas do mundo, vós que fazeis correr os sete metais nas veias das pedras, monarca das sete luzes, remunerador dos operários subterrâneos, levai-nos ao ar desejável e ao reino da claridade. Velamos e trabalhamos sem descanso, procuramos e esperamos, pelas doze pedras da cidade santa, pelos talismãs que estão escondidos, pelo cravo de imã que atravessa o centro do mundo. Senhor, Senhor, Senhor, tende piedade dos que sofrem, desabafai nossos peitos, desembaraçai e elevai nossas cabeças, engrandecei-nos. Ó estabilidade e movimento, ó dia envolto na noite, ó obscuridade coberta de luz! ó senhor, que nunca retendes convosco o salário dos vossos trabalhadores! ó brancura argentina, ó esplendor dourado! ó coroa de diamantes vivos e melodiosos! vós que levais o céu no vosso dedo, como um anel de safira, vós que escondeis em baixo da terra, no reino das pedrarias, a semente maravilhosa das estrelas, vivei, reinai e sede eterno dispensador das riquezas de que nos fizestes guardas. Amém."

ORDEM DO REINO DA TERRA

Guardiães: Virgo e Pelleur. Virgo é o espírito da Terra e Pelleur seu anexo divino. Os dois contribuiram com a criação do planeta Terra e agora protegem sua força divina.

Superiores: Gnomos; soberano: Gob; rei: Urinaphton; símbolo: tartaruga/touro.

Primeiro nível de desenvolvimento: Formas do Elemento Terra, todos os anões, gnomos, duendes, pixies, pucks, Brownies, Trolls, gigantes, elfos da terra, elfos negros.

Segundo nível de desenvolvimento: Gnomo, o velho sábio, fauno e trolls velhos.

Terceiro nível de desenvolvimento: Pan, Mãe Terra como Tanna e Stanna, guardiães da terra e superiores.

Nível cósmico: Condutora dos cristais, fada da terra, Devas e anjos (por exemplo Buriel e os arcanjos Zadkiel e Jofiel), que apóiam e guiam ao Elemento Terra com todas as suas propriedades e níveis de desenvolvimento do cosmos.

Deuses e Deusas: Gaia (Deusa da terra greco-romana), Mawu (Deusa da criação africana), Geb (Deusa da terra egípcia), a Mulher Mutante (Deusa da Terra dos Apaches), Demeter (Deusa grega do crescimento), Hou Tu (Deusa da terra chinesa), Ceres (Deusa romana da fertilidade), Mulher Aranha (Mãe dos hopi) e outros.

                 Os Elementais Da Agua

Picture
Nossa terra e nosso corpo estão compostos em sua maior parte de água. Esse elemento é uma parte de nós e nós somos uma parte dele. Está relacionado com nossos sentimentos, nossa alma e nosso sangue. A água presenteia ao nosso corpo emocional a capacidade de sentir e de perceber profundamente. Na água encontramos um espelho de nossa alma. A água nos une aos reinos astrais, os espaços da nossa alma, com o reflexo da luz divina. Podemos cair atrapalhados na alucinação exterior ou olhar através do espelho até as profundezas de nossa alma.

Os elementais da água têm vida própria. Onde há água, há seres aquáticos. Existem guardiões das fontes, ondinas, que vivem nos movimentos de água, sereias que penteiam seus cabelos nos rochas, muitos tipos de ninfas, nereidas que mantêm a água limpa e dirigem suas correntes, espíritos da água, elfos e duendes da água, fadas da água, dragões da água...

Os seres elemenais da água são um manancial de energia rica, purificadora e de propriedades curativas. As vezes despertam no homem o amor e a beleza, os sentimentos verdadeiros e transformam as lágrimas da dor em pérolas. Nos enviam a inspiração, coroada pela intuição, nossa voz interior. Porém, também podem arrastar os seres humanos  até um torvelinho de pântanos movediços.

Os seres da água são: belos, sedutores, atrativos, sensuais, românticos, brincalhões, porém, também podem ser perversos. Gostam de cantar e adoram música. Se movem na água, debaixo dela e em alguns casos em formas energéticas da água. As vezes podem abandoná-la por algum tempo, mas estão ligadas à água que são responsáveis. Sua tarefa é proteger a água, enriquecê-la energeticamente, vitalizá-la e ocupar-se de todas as formas de vida que habitam nela.

ORAÇÃO DAS ONDINAS
"Rei terrível do mar, vós que tendes as chaves das cataratas do céu e que encerrais as águas subterrâneas nas cavernas da terra; rei do dilúvio e das chuvas da primavera, a vós que abris as nascentes dos rios e das fontes, a vós que ordenais à umidade, que é como o sangue da terra, de tornar-se seiva das plantas, nós vos adoramos e vos invocamos. A nós, vossas móveis e variáveis criaturas, falai-nos nas grandes comoções do mar e tremeremos diante de vós; falai-nos também no murmúrio das límpidas águas, e desejaremos o vosso amor.
Ó imensidade na qual vão perder-se todos os rios do ser, que sempre renascem em vós! Ó oceano das perfeições infinitas! Altura que vos mirais na profundidade; profundidade que exalais na altura, levai-nos à verdadeira vida pela inteligência e pelo amor! Levai-nos à imortalidade pelo sacrifício, a fim de que sejamos considerados dignos de vos oferecer, um dia, a água, o sangue e as lágrimas, para remissão dos erros. Amém."

                   Os Elementais Do Fogo

Picture
Os elementais do Fogo procedem da região mais interna da terra e do cinturão de elétrons que rodeia o sol. Trabalham nas esferas interiores, lugar em que as correntes vitais se mantêm em meio de suas encarnações. Eles protegem uma energia poderosa e indestrutível. Esta pode ser segundo sua intensidade e força: o amor intenso, a união, a iluminação, o êxtase, a alegria profundo; ou ao contrário, a violência, a ira e a vingança.

Todos os seres do fogo apresentam características similares: são poderosos, dinâmicos, luminosos, brilhantes e chamejantes. Nunca estão quietos, se encontram em contínua transformação e adoram o movimento. São inteligentes e valorizam sua liberdade e independência. As formas com que se apresentam podem ser angulosas ou dentadas, se movem velozmente e de forma inquieta, constantemente trocando de forma, que pode ser masculina ou feminina. Seguem a energia, nela se encontram em casa, ali onde o fogo brilha.

Um dos deveres dos elementais do Fogo é a purificação e a transformação da energia criadora. Eles servem a esta força em qualquer nível e a qualquer que as chame. O ser humano é a "Coroa da Criação" e a ele é dada a capacidade de guiar estas entidades.

Nós somos uma parte desse energia do fogo e ele é parte de nós. É a energia criadora e celestial, que flui pelo nosso corpo e que conserva os processos vitais. Nos dá asas e inflama nossa força criadora e nossa capacidade de expressão. Porém, se não a dominarmos, também pode destruir, mediante o uso da violência ou da vingança.

Em cada contato com o fogo estão presentes seus seres. Se nos unirmos à eles, se nos afinarmos com sua energia mediante a disciplina e o controle sobre nós mesmos, eles poderão nos lançar cada vez mais alto e fluirão através de nosso corpo até nos unir com a luz do Éter. Esse estado se denomina Iluminação, união mística, etc. Uma parte da energia no ser humano deve inclinar-se, sacrificar-se frente à luz superior, para que as forças da luz superior se purifiquem e se façam realidade.

INVOCAÇÃO ÀS SALAMANDRAS 
Eu vos saúdo, Salamandras, 
Que constituís a representação do elemento fogo.
Peço, que com vosso trabalho, 
Forneçais a mim poder de resolver tudo, 
De acordo com vossa vontade, 
Alimentando meu fogo interno, 
Aumentando minha chama trina do coração 
E assim formar um novo universo. 
Mestres do fogo, Eu vos saúdo fraternalmente. 
Amém. 

Invocar nas primeiras luzes do sol. Caso isto não seja possível, é necessário que o elemento fogo esteja presente. O mais indicado é o uso da vela. Esta invocação é feita para se ter mais força de vontade, coragem, vigor, entusiasmo e bons empreendimentos. Atua no trabalho e na espiritualidade.


ORDEM DO REINO DO FOGO

Guardiões: Hélios e Vesta

Superiores: Salamandra; amo:Djinn

Primeiro nível de desenvolvimento: Forma do fogo, elementais do fogo no animal e no homem, pontinhos de fogo, conjunto de demônios, alba negra, druidas.

Segundo nível de desenvolvimento: Salamandra, dragões, flamines (pequenos seres de fogo).

Terceiro nível de desenvolvimento: Musas, seres solares.

Nível cósmico: Anjos à serviço de Cristo (por exemplo os arcanjos Uriel e Miguel), anjos da esfera solar e de Marte (por exemplo Samuel e Anael).

Deuses e Deusas: Kali (Deusa indiana da destruição), De Derga (deus vermelho celta), Agni (Deusa hindu do fogo e guardiã dos seres humanos), Rá (deus do sol egípcio), Brigid (Deusa celta portadora da luz), Surya (deus do sol hindu), Tu Njami (Mãe siberiana do fogo), Apolo (deus do sol grego) e outros.

                    Os Elementais Do Ar

Picture

Somos parte da energia do Ar e ela é parte de nós. O ar está relacionado com nosso nível espiritual e sua força. As correntes de pensamento de muitas pessoas influem, segundo o princípio de causa e efeito, atmosféricamente sobre o tempo, sobre o ambiente e em torno dele. Nossos pensamentos criam campos de energia escuros ou claros, dependendo da energia com que nos achamos carregados. O ar transmite a informação, não importa como esta seja.

A iniciação no Elemento Ar tem que ver com a fragmentação ritual. O corpo se divide em nível espiritual, é purificado e recomposto de novo. Posteriormente é abençoado com as oferendas do reino espiritual. O iniciado desmonta pontes, une, não valora nem julga, e junta de novo, conhece a força e o poder dos pensamentos e o silêncio.

Desde o sopro do vento até o furacão, em todas as partes estão presentes os espíritos do ar: os guardiões dos quatro ventos cavalgam na tempestade, as sílfides voam aqui e acolá ma ligeireza do ar, os espíritos das tempestades, as boreas sopram; as fadas do ar, elevam os animais do ar e transportam as sementes de um lugar ao outro. Se ocupam do correto intercâmbio da energia e decretam a força divina da união, da renovação, translado e divulgação, assim como do envio de informação.

Os elementais do ar são delicados e claros e estão dotados de beleza, humildade e sabedoria. Vigiam a atmosfera, que se constrói com distintas correntes e conferem à luz suas propriedades específicas. Sua tarefa consiste em encher o ar de energia, possibilitar o intercâmbio e enviar novos impulsos. Se mostram nos pequenos animais do ar, libélulas, borboletas, abelhas, assim como em todos os insetos voadores.

Nossa respiração, nossos pulmões, nossos pensamentos e nossos relacionamentos em todos os níveis estão relacionados com os elementais do Ar.

ORAÇÃO DOS SILFOS 
"Espírito de sabedoria, cujo sopro dá e retoma a forma de todas as coisas; tu, diante de quem a vida dos seres é uma sombra que muda e um vapor que passa; tu, que sobes às nuvens e que caminhas nas asas dos ventos; tu, que expiras, e os espaços sem fim são povoados; tu, que aspiras, e tudo o que de ti vem a ti volta: movimento sem fim da estabilidade eterna, sê eternamente bendito. Nós te louvamos e te bendizemos no império móvel da luz criada, das sombras, dos reflexos e das imagens, e aspiramos incessantemente à tua imutável e imperecível claridade. Deixa penetrar até nós o raio da tua inteligência e calor do teu amor: então o que é móvel ficará fixo, a sombra será um corpo, o espírito do ar será uma alma, o sonho será um pensamento. E nós não seremos mais arrastados pela tempestade, porém seguraremos as rédeas dos cavalos alados da manhã e dirigiremos o curso dos ventos da tarde, para voarmos diante de ti. Ó espírito dos espíritos, ó alma eterna das almas, ó sopro imperecível de vida, ó suspiro criador, ó boca que aspiras e expiras a existência de todos os entes, no fluxo e refluxo da tua eterna palavra, que é o oceano divino do movimento e da verdade. Amém."


ORDEM DO REINO DO AR

Guardiões: Thor e Aries. Thor era o deus germânico do trovão, da tormenta e da fertilidade e Áries seu anexo divino. Protegem e guiam o Elemento Ar.

Superiores: Sílfides; soberano das sílfides: Paralda; símbolo: borboleta/águia.

Primero nível de desenvolvimento: Forma do Elemento Ar, Vila (espírito da tormenta eslavo).

Segundo nível de desenvolvimento: Fadas, sílfides, reis, rainhas dos elfos.

Terceiro nível de desenvolvimento: Superior de fadas, superior das sílfides, guardião dos poderosos quatro ventos, mãe do vento, noivas do vento.

Nível cósmico: Devas, todos os arcanjos e seres angelicais poderosos que se ocupam do Elemento Ar nos cosmos, o arcanjo Miguel é o protetor do Ar, das musas, das forças de inspiração, da arte e da beleza.

Deuses e Deusas: Feng-Po (deus do vento chinês) Feng Po-Po (Deusa chinesa do vento que cavalga sobre as nuvens no lombo de um tigre), Odin (deus germânico do céu e criador), Brahma (deus hindu da criação do céu e da terra), Lilith (rainha alada hebréia do ar) e outros.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Elementais - imagens












ORAÇÃO AO ANJO DA GUARDA

 

Meu companheiro de todas as horas; amigo de todos os momentos,
Tanto os de alegria como os de sofrimento; guia os meus passos, os meus pensamentos e minhas ações.
Cria em redor de mim um círculo de defesa contra os fluidos, influências ou interferências que possam afetar‑me o corpo ou a mente.
Ajudando‑me também estarás te ajudando, num intercâmbio de amor, de paz e de compreensão.
Se o meu porta voz diante de outros espíritos superiores, médicos ou cientistas; professores ou sacerdotes.
Guias ou amigos para que me dirijam na solução dos meus problemas físico‑espirituais.
Agradeço‑te sinceramente toda a assistência que me prestaste, toda orientação que imprimiste à minha vida, socorrendo‑me nas horas aflitivas, consolando‑me nas épocas de amarguras

As Bases da Wicca e Avalon




As Bases da Wicca


Imagem do deus Cornífero pintada por Goya
Antes de mais nada é importante saber que a bruxaria, mais popularmente conhecida hoje por Wicca é uma religião com base principalmente na tradição Celta, e assim como esta, é também politeísta. 
Os seguidores da Wicca adoram em especial um deus a quem chamam de "deus Cornífero" e uma deusa a quem chamam de "Grande Mãe" ou simplesmente "a deusa". Estes nada mais são que personificações de forças da natureza. 
Muitas vezes o deus wiccaniano é representado ou por um homem barbudo, com cabelos desgrenhados e chifres, ou como um bode. As vezes uma junção de ambos, enquanto a deusa adorada pelos adeptos da bruxaria é representada pela lua em suas diversas fases, ou então com o aspecto de três mulheres: uma virgem, uma mulher grávida e uma anciã.
Já a festa de Halloween é uma das principais comemorações da Wicca. Tais celebrações são conhecidas por Sabaths. Este em particular marca o fim do outono no Hemisfério Norte e também o fim do ano para seus praticantes. Nele cujo o nome se chama Samhain, a deusa está velha e entristecida e desce ao submundo em busca do deus cornífero. Segundo Diogo Ribeiro, Sacerdote Wiccaniano, pela deusa ser a detentora dos mistérios, começa a rejuvenescer o espírito do deus em seu caldeirão da transformação, preparando-o para o seu nascimento vindouro. Nesta noite os mortos são homenageados pois segundo suas crenças nesta data o véu que os separa do mundo dos vivos está mais tênue, possibilitando que os espíritos venham visitar seus entes queridos.
Este é o prenúncio do inverno onde a terra esfria cada vez mais, e no próximo Sabath de Yule o deus renascerá do útero da grande mãe, até atingir a maturidade e então se tornar o seu consorte.









AVALON OU GLASTONBURY
Castelos e fortificações de pedra compõem boa parte da paisagem da Inglaterra rural. Em muitos deles, a passagem do Rei Arthur e de seus leais cavaleiros da Távola Redonda com seus feitos nobres deixou marcas, ajudando a construir suas histórias.
Mas é no sudoeste da Inglaterra, a 150 km de Londres, na cidadezinha de Glastonbury (um dos lugares mais sagrados da Inglaterra) que expedições arqueológicas encontraram não só vestígios de um Arthur em carne e osso como também do seu refúgio, a lendária Ilha de Avalon.
Para muitos respeitáveis estudiosos, porém, não há dúvidas de que a pacata e bucólica Glastonbury de hoje foi outrora a mítica Ilha de Avalon e atrai visitantes de todos os gêneros: românticos fascinados pela história do rei Arthur, peregrinos à procura da herança da antiga religião, místicos em busca do Santo Graal, em busca da energia que emana de Stonehenge que era ligada ao antigo rio Avalon, ainda quando Glastonbury era rodeada por pântanos, enquanto; os astrólogos são seduzidos pela existência de um zodíaco na paisagem, chamado Templo das Estrelas de Glastonbury por Katherine Maltwood.
Pesquisas arqueológicas atestam que os campos de Glastonbury há milhares de anos, foram pântanos drenados, ou seja, a cidade já foi uma ilha, o que reforça sua proximidade com as lendas de Avalon também chamada de "Ynis Vitrin" ou Ilha de Vidro. O nome Avalon tem origem no semi-deus celta Avalloc. Os Celtas a consideravam uma passagem para outro nível de existência.
Segundo pesquisadores, Avalon ainda pertencia ao mundo, a comunidade de lá convivia pacificamente com os cristãos, que ali chegaram pedindo abrigo. Foram acolhidos com a condição de que não interferissem nos cultos e nas tradições antigas. Diz-se que padre José de Arimatéia levou o cálice Graal contendo o sangue de Jesus para a ilha de Avalon (Glastonbury com seus pântanos atualmente drenados).


Em Avalon havia suas deusas e deuses, vivia em harmonia com a natureza, ao seu ritmo, seguindo as mudanças das estações do ano, os ciclos da lua com seus antigos rituais. Viviam lá as Sacerdotisas da Lua e aprendizes dos mistérios e forças da natureza, conheciam a magia, as ervas para curar, os segredos do céu e das estrelas e a música principalmente...Em Avalon onde tudo florescia era iluminada pelo sol.
Entretanto, com o passar do tempo, os padres (não José de Arimatéia, que se “dizia”, teria uma concepção contrária de outros padres) começaram a ver os cultos pagãos como profanos, dizendo que em seus rituais o demônio era adorado, condenando-os. Muitas comunidades pagãs foram destruídas, e a partir de 391, com a consolidação do cristianismo como religião oficial do Império Romano, as perseguições tornaram-se maiores e os cultos pagãos foram totalmente proibidos.
Avalon é uma ilha sagrada. Há muitas eras, pertencia ao mundo, mas hoje, está entre a Terra e o Reino Encantado, cercado pelas brumas que encobrem a ilha e a separa do mundo dos homens.
Inúmeros sítios místicos da Bretanha envolvem uma história particularmente rica e variada, figurando em cultura druida, cristãos, cultos celtas, no ciclo arturiano e na espiritualidade da Nova Era. No entanto, mesmo as associações mais antigas são relativamente novas, se comparadas com os primórdios dos marcos sagrados. Há 6 mil anos ou mais, alguns desses sítios constituíam o solo sagrado de um povo mais remoto – os adoradores neolíticos da Deusa-Mãe.
A Deusa, uma divindade da mãe-terra reverenciada pelas sociedades primitivas em muitas partes do mundo, aparentemente teve seus seguidores na Inglaterra. Em Silbury Hill há uma enorme colina perto de Stonehenge, que teria representado o ventre da deusa grávida. Para erguê-la, seus construtores teriam feito um esforço prodigioso, arrastando cerca de 36 milhões de cestas cheias de terra, durante 15 anos.
A pedra-ovo, considerada símbolo da poderosa mãe cósmica pode possuir uma energia própria: Dowsers afirma que ela emite fortes vibrações. Com quase 40 metros de altura, uma estrutura artificial pré-histórica que alguns historiadores acreditam que ela representasse um olho, um símbolo usual da deusa-mãe. O morro em si seria a íris e o círculo em seu topo, a pupila.
A 1,50 quilômetro a leste de Glastonbury, ergue-se a mais de 150 metros de altitude outra colossal gravidez da terra, o Tor, um cone extraordinário, visível de todas as direções em um raio de mais de 30 quilômetros.
Ao redor de suas encostas os terraços construídos pelos homens formam um imenso labirinto que se enrosca até o corpo. Alguns pesquisadores acreditam que esses caminhos tortuosos foram projetados para a prática de rituais pagãos, na pré-história.
O Tor é coroado pela torre em ruínas de uma igreja dedicada a São Miguel, um célebre caçador de dragões e inimigo dos espíritos do mal.
Os monges medievais erigiram a igreja com o intuito de cristianizar o local e erradicar seus vínculos com reis e deuses pagãos.
O que na minha opinião, este tipo de estratégia nunca funcionou, pois a fé está dentro de nossos corações, em nossos pensamentos e a natureza é a nossa razão principal, não serão templos erguidos pelas mãos de mortais que irão fazer de nós pessoas boas ou ruins.
Segundo uma lenda celta, a entrada para Annwn, a morada subterrânea das fadas, pode ser encontrada através de túneis e câmaras naturais localizadas debaixo do Tor. Seria através desse portal que Gwynn ap Nudd, rei das fadas, teria partido em caçadas selvagens para encontrar e roubar os espíritos dos mortos.
O Tor de Glastonbury é inconfundível em uma vista aérea. Sobressai de tal maneira na paisagem, que induziu à hipótese de ter servido como referência para a aterrissagem de discos voadores. “Tor” em celta significa Portal, passagem; estaria ali o umbral que permite a passagem do nosso mundo para a ilha sagrada de Avalon.
                         
Uma tradição milenar relata também que está em Glastonbury (antiga Ilha de Avalon) o Poço do Cálice Sagrado (Chalice Well), onde José de Arimatéia, amigo e protetor de Cristo, no ano 37 d.C., teria escondido o Santo Graal, o cálice da Santa Ceia, contendo o sangue de Jesus. O poço fica nas proximidades da colina de Tor.
É um lugar muito apreciado para meditação. De uma fonte, sai uma água pura e cristalina com propriedades medicinais. O sangue do cálice teria sacralizado e tingido a água pura do poço.
Esta é realmente vermelha. Segundo cientistas, devido ao alto teor de ferro no solo. Para os turistas e locais, beber as águas do "Chalice Well" é beber da própria fonte da juventude.
Enfim, Glastonbury é um berço sagrado que abriga muitos mistérios...

AVALON, A ILHA SAGRADA DAS FADAS, BRUXAS...

Avalon,  palavra provavelmente do celta, abal: maçãs. A terra dos Deuses, a ilha das maçãs, um reino de pura beleza e amor, de maravilhas, da magia da grande Deusa, a busca constante de todo o ser humano que, apesar de todas as desilusões, ainda tem a esperança de fazer deste mundo uma lenda real, ou seja, um lugar melhor para se viver.
A maçã representa a imortalidade, o conhecimento e a magia. Existem vários relatos referentes a sua simbologia e às viagens célticas, conhecidas como Immran, ao Outro Mundo, supostamente, uma realidade contígua à realidade comum.
Os Immram, são jornadas místicas, nas quais um herói é atraído por uma fada, que lhe entrega um ramo de maçã e o convida para ir para o Outro Mundo, como em "A Viagem de Bran", Filho de Febal. Outro Immram, relata "A Viagem de Maelduin", que trata da busca do herói pelos assassinos de seu pai. Ele passa por uma ilha onde encontra uma macieira e dela corta um ramo com três maçãs. Estes frutos são capazes de saciar a sua fome e a de seus companheiros por quarenta dias sem ingestão de qualquer outro alimento. (Jean Markale, 1979:246).
Avalon também recebe o nome de Ilha Afortunada, pois suas colheitas são fartas e abundantes. Diz a lenda que, era governada por Morgana e suas nove irmãs, sacerdotisas guardiãs do caldeirão do renascimento, símbolo da Grande Deusa, capaz de curar todos os males. Além de evocar as brumas para adentrarem à ilha encantada.
Avalon está associada a Caer Siddi (Fortaleza das Fadas), o Outro Mundo ou Annwn, a Terra da Eterna Juventude. Ilha feérica, onde apenas o povo das fadas e os nobres cavalheiros de alma pura podiam adentrar.



Existia em Caer Siddi uma fonte que jorrava vinho doce e onde o envelhecimento e a doença eram desconhecidos. Entre os seus tesouros havia um caldeirão mágico, tema diretamente ligado à abundância existente na Ilha das Maçãs. (Ellis, 1992:25; Geoffroy de Monmouth, Vita Merlini e Jean Markale, A Grande Epopeia dos Celtas).
Na mitologia céltica existem dois tipos de mitos sobre o caldeirão: o caldeirão do renascimento e o caldeirão da abundância. Dagda, pai de todos os Deuses, possuía um caldeirão proveniente da cidade de Múrias. Ao provar dele, ninguém passava fome, (Ellis, 1992:77). Já Matholwch recebera o caldeirão do renascimento do Deus Bran e com ele era possível ressuscitar um morto, mas que perderia a capacidade de falar. (Mabinogion, 1988:31).
O caldeirão, mais tarde, deu origem ao mito do Graal, inicialmente nas obras de Chrétien de Troyes. Com a sua cristianização em fins do século XII, o conteúdo do cálice passou a ser o sangue de Cristo. Simbolizando o conhecimento e o alimento da alma. A propósito da temporalidade do Outro Mundo, representada pela "Insula Pomorum", Ilha Paradisíaca, onde a passagem do tempo não é percebida pelos humanos que para lá vão, como pode ser visto nos relatos sobre Bran. (Le Goff, 93).
A ilha sagrada de Avalon não existe nas dimensões de tempo e espaço conhecidos por nós. Ao longo dos séculos, as pessoas tentam localizá-la, em locais como: o País de Gales, a Irlanda, a Cornualha e a Bretanha.
A cidade de Glastonbury, em Somerset na Inglaterra, é particularmente associada a Avalon, através dos seus mitos e lendas locais, relacionando a colina do Tor como sendo a entrada do Annwn, lar de Gwynn ap Nud, o rei das fadas e guardião do submundo. Descendo a colina, em meio aos carvalhos, chega-se a "Chalice Well Gardens", os Jardins do Cálice Sagrado, fonte de água avermelhada com propriedades curativas, reforçando o mito do Santo Graal.
Invisíveis aos olhos descrentes, as brumas revelam seus mistérios apenas aos que servem ao princípio maior, junto aos Deuses. A lenda se torna realidade, mas o medo, como sempre, é o grande desafio daqueles que estão na travessia deste portal mágico, prestes a desvendar os segredos do Outro Mundo.
Avalon é o templo do mundo interior, terra da eterna magia e saber que oferece iniciação e esclarecimento a todos que iniciam nessa jornada. E, somente, aqueles que compreendem que a vida é infinita em suas possibilidades poderão abrir as portas deste mundo.
O universo nos coloca, sincronicamente, em caminhos que irão modificar não apenas a nossa existência, mas toda a realidade que nos cerca.
Avalon se apresenta nos corações daqueles que são sinceros e seguem o que lhes foi traçado pelos Deuses, mas, somente nós somos os responsáveis por tecer o fio do nosso destino.







Wiccas











A Wicca é uma religião que abraça a magia, lhe da as boas-vindas e a pratica, mas a magia nao é o coração da Wicca. Os Wiccanos sao diferentes. Eles vêem a natureza como uma manifestação da divindade. Por causa disso, nós acreditamos que o fato de uma divindade masculina ser reverência sem o seu contratempo feminino é, na melhor das hipóteses, metade certo. Ambos os sexos existem na 
 natureza. Se a natureza é uma manifestação da divindade, então a divindade tambem se manifesta em formas masculinas e femininas. Assim a moderna Wicca geralmente é como aspectos do poder universal. A Wicca é uma religião constituída de duas deidades igualitarias, a Deusa e o Deus. Acredita-se que essas divindade sejam energias gêmeas ou manifestações nao-físicas do poder. A Wicca está em harmonia com antigas práticas e crenças religiosas. Não é um passo atrás, nem um tapa no Cristianismo ou qualquer outra religião contemporânea baseada no masculino. A Wicca é uma religião alternativa, uma que está completando seus adeptos.
 
 



Leia mais: http://www.alemdamagia.com/wicca-a-religi%C3%A3o-da-deusa/













Adoração das Bruxas

"Os poderes invisíveis que mais interessaram ao homem nos primórdios de sua história
foram os poderes da fertilidade e do contato com o espirito do mundo, da vida e da morte.
Estes são os poderes básicos que tornaram-se as divindades das bruxas,
e sua adoração é tão antiga quanto a própria civilização."

Gerald Gardner
 







Atraindo as Fadas:

Fadas adoram sino dos ventos. Experimente colocar numa árvore um sino dos ventos e pequenas florzinhas coloridas de papel enfeitando. Incensos e música de flauta sao tambem bem-vindos por estes graciosos elementar do ar. Na sua casa voce pode ofertar uma fruta as fadas, deixando-a pendurada numa árvore com fitas coloridas, estes pequenos agrados garantem a presença benéfica das fadas na sua vida com abundância e fluidez na sua prosperidade.
 

















 
Lei do retorno...

A lei do retorno é infalível: Nada do que se faz na vida fica sem um retorno, seja ele bom ou ruim. Portanto todos os atos devem ser bem pensados para que não se tenha que pagar um preço bem alto depois...




Água de lua 

A água de lua é um dos ingredientes principais de poções, perfumes e também de uso puro de um feiticeiro das florestas.

Como fazer:

Apenas deixe água cristalina sob a lua, numa segunda-feira e de preferência nos três primeiros dias da fase da lua. Não deixe mais que 4 horas, e sempre a noite. Não pode pegar a luz do dia. Conserve numa ânfora ou garrafinha de prata ou de louça, também pode ser em vidro âmbar, mas deve ficar num armário para não pegar luz.

Quais as águas e para que servem:

DE LUA NOVA: Desenvolve a introspecção, silencio interno, paz, yin, ocultar-se, esfriar.

DE LUA CRESCENTE: Aumenta tudo o que toca. Faz crescer, prosperidade, amor, crescimento pessoal e físico, cabelos.

DE LUA CHEIA: Usada na maioria das poções, ela tem o poder da mãe lua, da intuição, do feminino sagrado, da abundancia, do amor, magia, da cura.

DE LUA MINGUANTE: Limpa, diminui, contrai, esvazia. Use nas poções de banimento e quebra de feitiço, mas não nas de proteção, pois para proteção é a de lua cheia e as de invisibilidade use água de lua nova.