quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Lilith

O modelo feminino permitido ao ser humano pelo padrão ético judaico-cristão baseia-se no de um fragmento do ‘primeiro ego’, que seria Adão. Vários textos históricos, no entanto, citam uma variante, a criação de Lilith, a primeira mulher, feita em igualdade de condições com o primeiro homem, e expulsa do Paraíso por tentar fazer valer essa igualdade.

Não se sabe com certeza de que forma a lenda de Lilith, esta primeira companheira de Adão, foi banida da versão Bíblica da Igreja. Lilith, feita de sangue (menstruação) e saliva (desejo), é expressão de fatalidade. Neste ponto, Lilith é mais fiel ao protótipo da mulher do que a submissa Eva, embora ambas tenham sido veículo do pecado. Só que a recusa ao desejo, ao sonho erótico que subtraiu a porção divina de Adão chega, com Lilith, a extremos surpreendentes após a separação deste casal.

A palavra Lilith vem do sumério Lulu, que significa libertinagem. Segundo a Cabala, Adão teve duas esposas, Lilith e Eva. Eva, como sabemos, foi feita a partir de uma costela de Adão, porém Lilith foi feita da mesma argila com que Deus fez Adão. Por motivo de orgulho e luxúria, Lilith cansou-se de sempre ficar por baixo de Adão durante os atos sexuais e ela foi se queixar com Deus: “Fomos criados iguais e devemos fazê-lo em posições iguais”,"Por que devo deitar-me embaixo de ti? Por que ser dominada por você? Contudo, eu também fui feita de pó e por isso sou tua igual",E Adão, ciente da supremacia do homem, nega-se a mudar a ordem. Lilith revolta-se, pronuncia o nome mágico de Deus, acusa Adão e Cansada de que Deus não atendesse às suas reivindicações, vai embora do Paraíso, aliando-se com os Inimigos do Eterno. Perdida no mundo, ela terminou se transformando num demônio perverso que assola e vampiriza a todos os seres humanos que tentam viver o Amor.

A partir dessa narração alegórica e ao mesmo tempo ocultista, Lilith foi chamada de a mãe dos demônios e de todas as perversidades sexuais, homossexualismo etc., além de ser traidora, por se aliar aos Anjos Caídos.

Algumas tradições dizem que Lilith sai mundo afora para seduzir tanto a homens quanto a mulheres para logo em seguida assassiná-los e sugar seu sangue Lilith, segundo o esoterismo, é na verdade um terrível mago negro do mundo astral, iniciador ou criador de entidades diabólicas, tais como as lamias, as estriges, as harpias, as górgonas, as rínias e fúrias, as moiras e parcas etc.


Na Bíblia, aparece uma fugaz alusão a Lilith. Em Isaías (34:14) explica-se com detalhe como Deus, com sua espada, mata a todos os habitantes de Edom e que ali ficam como senhores animais como abutres, serpentes e... Lilith...


Encarnando o feminino negativo, Lilith transfigura-se, posteriormente, em inúmeras deusas lunares (Ihstar, Astarte, Isis, Cibele, Hécate), arquétipos das forças incontroláveis do submundo – a Lua Negra. Até ser personificada pela bruxa, na Idade Média, contra a qual o homem moveu uma das mais sangrentas perseguições de toda a sua história.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Alfabeto da Bruxa


O alfabeto Theban é um sistema de ESCRITA com origens desconhecidas. Foi publicado pela primeira vez em Polygraphia de Johannes Trithemius (Johann Heidenberg 1462-1516) em 1518, e foi atribuído a Honorius de Thebas. Já seu discípulo Heinrich Cornelius Agrippa (1486-1535) no livro “The Occulta Philosophia -1531” (A Filosofia Oculta) atribuiu o Alfabeto Theban a d’Abano de Pietro (1250-1316).

O Alfabeto Theban também é conhecido como alfabeto de Honorian ou RUNAS de Honorian, entretanto não há nenhuma evidência de que o alfabeto Theban tenha sido utilizado como runa. Devido ao amplo uso dos praticantes de BRUXARIA e Wiccanos, o alfabeto passou a também ser chamado de “Alfabeto das Bruxas”, e, é normalmente utilizado para substituir as letras latinas ao ESCREVER nos Livros das Sombras, servindo, dessa forma, como uma ESCRITA mágicka de difícil compreensão para leigos, o que cria um belo AR de mistério.

O alfabeto Theban não possui semelhança gráfica com praticamente nenhum outro alfabeto, e não foi encontrado em nenhum local ou publicação antes da de Trithemius. Em comparação ao Latim Arcaico, o Theban, possui uma relação “letra à letra”, perdendo algumas dessas correspondências somente com o Latim moderno, onde as letras J, U e W não possuem representação e são escritos com os mesmos caracteres para I, V e VV consecutivamente.

Ao que tudo indica o Theban não possui nenhuma pontuação além de um caractere que representa o fim de um texto, quase que equivalente a um ponto final. Nenhuma outra pontuação aparece nos textos de Trithemius ou nos de Agrippa e os posteriores a esses. Logo, ao ESCREVER com o alfabeto Theban podemos utilizar nossa pontuação latina ou inventar caracteres equivalentes. As correspondências com o Latim Arcaico e a falta de pontuações sugerem que tal alfabeto foi inspirado no Latim e no Hebraico.

Curiosidades
Johannes Trithemius - Era um abade responsável pela biblioteca de seu convento e um grande estudioso de sua época. Ele foi expulso da abadia em razão de seu grande interesse pelo ocultismo e pela ciência, Johannes foi o mestre de Cornelius Agrippa e Paracelso (1493-1541).

Honorius de Thebas - É um personagem místico da idade média, dizem que ele teria escrito o livro ocultista “The Sworn Book of Honorius” (O Tratado de Honório), mesmo que o primeiro manuscrito desse livro só tenha sido escrito no ano de 1629 d.C. Um mistério ainda ronda a verdadeira identidade desse ocultista, que muitas vezes foi ligado aos papas Honório I e Honório III.

d Abano de Pietro – Conhecido também como Petrus de Apono ou Aponensis, era um médico, um filósofo, e um astrólogo italiano. Era um médico muito famoso e também um MAGO , tendo escrito um grimório chamado “Heptameron” (Não deve ser confundido com o Heptameron de Marguerite de Navarro). Foi por duas vezes perseguido pela inquisição sendo acusado de possuir pacto com o demônio devido ao seu avançado uso da medicina com técnicas de energia e utilização de especiarias Árabes. Conseguiu sair da primeira tortura, mas não resistiu a segunda, morrendo e tendo seu corpo raptado por um amigo para que não fosse queimado em praça pública, já que após sua excomunhão os inquisidores ainda iriam queimar seu corpo como um alerta à população.

"Família Old Religion"

Abaixo nós disponibilizamos o alfabeto das bruxas para você instalar no seu computador:
Para baixar as fontes True Type para seu computador siga abaixo as instruções passo-a-passo:

1º Clique sobre a fonte e salve-a no seu computador.
2º Clique no botão INICIAR do seu computador, clique em CONFIGURAÇÕES e em PAINEL DE CONTROLE.
3º dentro de painel de controle clique no ÌNCONE FONTES.
4º Dentro de fontes clique lá em cima em ARQUIVO e clique em INSTALAR NOVA FONTE.
5º Procure o lugar onde você salvou a fonte (lá no 1º passo lembra?) e após isso é só clicar em OK.

A DEUSA

A verdadeira história de como chegou a ser, como Ela desapareceu e como regressou
Autora: S. Susun Weed
Tradução: Iony Ming
Revisão: Inês Raven

No principio, tudo começou como sempre ocorre, com o nascimento. A Grande Mãe de Todos deu à luz e a Terra começou a respirar. Uma vez mais e uma vez mais e uma vez mais, a Grande Mãe deu à luz. E as plantas começaram a respirar e os animais começaram a respirar e os de duas patas também começaram a respirar. Todas as formas de vida começaram a respirar para viver. No ar, na terra, na água, e também os profundos incêndios onde a luz nunca brilha. Todas as formas de vida começaram a respirar. E todos estavam muito famintos.

O que vamos comer? Perguntaram à Grande Mãe.
Vocês podem me comer. Ela disse com um sorriso.

E o fizeram. Eles se alimentaram de seu corpo. As plantas enviaram suas raízes até embaixo da terra e comiam Sua carne e Seus ossos, bebiam seu sangue claro dos seus profundos mananciais onde fluem suas águas. E cresceram fortes. As gramíneas se multiplicaram pelo vento, as raízes cresceram a tomaram as profundezas. E, em todas as partes, há diversas formas de folhas, flores de muitas cores, frutas e tudo é maravilhoso de se ver.

Os animais A comeram, mas não como as plantas com suas raízes o fizeram. Não podiam enviar suas raízes para Ela. Então, alguns animais se alimentaram dos pastos que cresciam da Mãe. Alguns dos de duas patas comiam as sementes das gramíneas, as raízes e as folhas das plantas. Comiam, comiam, comiam. E começaram a dar à luz também. Rapidamente havia muito mais bocas para comer da Mãe. Havia muitos pés para revolver o pó vermelho da Mãe, muitas bocas para louvar Sua abundância e muitas bocas para alimentar.

Eu sou você e você está comigo. Estou aqui para que você possa comer. Agora me comam, comam tudo de mim – ela ensinou a eles. E alguns dos animais comeram da Sua carne e seus ossos em forma de outros animais. E seu sangue se converteu em vermelho. E vermelho era o sangue que fluía nos órgãos dos animais e no corpo dos que comiam os animais que se alimentavam das plantas que comiam Dela. E a Grande Mãe estava bem satisfeita.

Assim esse sangue fluía pelos órgãos dos de duas pernas e eles cantavam a interminável sabedoria da Grande Mãe, a interminável dança da Lua e a interminável espiral de nascimento-vida-morte-vida. E as que eram redondas e plenas como a Mãe sentiram o sangue agitando-se em seus ventres. Uma onda de sangue se escorreu de seus ventres e ficaram cheias de assombro. E perguntaram à Mãe: O que faremos com esse sangue vermelho que se move com tanta força em nossos ventres, Mãe? E Ela respondeu: Dê a mim, retorne esse sangue para mim, para repor a mim mesma o teu sangue. E assim o fizeram.

Cada mês, quando a Lua escura crescia e desaparecia, o sangue começou a fluir por entre as pernas de algumas das de duas pernas. Dos úteros o sangue fluía: era vermelho, rico e nutritivo. O vermelho novamente fluía Nela e Ela dizia: Você está comigo e eu em você. Teu sangue é meu sangue. E meu sangue é teu sangue. Desde sempre e para sempre, nos nutrimos mutuamente. E se você quer manter sagrado o dia do teu sangramento, eu a ensinarei todos os segredos das plantas e dos animais, do céu e da terra. E a mulher manteve sagrado os dias de seus sangramentos e sabia que cresciam da forma como cresciam as plantas, tinham as formas dos animais, do céu e da terra.

E assim foi durante muitas, muitas voltas da terra em redor do Sol.

Até a mudança. Ninguém sabe como começou. Como um pequeno fogo, o primeiro momento parece inofensivo. As mulheres perceberam, mas pensaram que aquele mal não poderia chegar até eles. Violentar uma mulher não é o mesmo que violentar a própria terra? A Mãe? E quem seria tão estúpido para violentar a sua própria mãe? A fonte de alimento, o conforto e a força?

Sem impedimento, apareceram os estúpidos que, crescendo arrogantes, começaram a contar a historia de criação de um modo diferente. Começaram a acreditar que um homem deu a luz a Terra e aos seres humanos! Disseram que um homem é a fonte de todos os alimentos e sabedoria. Disseram que o homem é a imagem de Deus e que Ele era zeloso e tinha nojo de nós, que exigia a dor, o sangue e o desprezo pelos prazeres simples do corpo, da terra. Disseram que Ele vivia em cima, não dentro da terra; que vive no céu e está acima de todas as formas de vida. Disseram que os homens também estão acima de todas as formas de vida da terra.

Ah, como eram estúpidas suas histórias! Sem duvida ninguém pode acreditar em tais histórias! Certamente, todo mundo pode ver claramente que a mulher é a fonte de vida e alimento. Sem dúvida é evidente que a mulher é o sangue da vida e da terra e da geração. Que o prazer do corpo é sagrado e bom. Que a terra está viva e é nossa verdadeira Mãe, devendo ser respeitada. Somos parte Dela e dependemos dela até para respirar.

Mas, como um pequeno fogo se espalha quando o vento está soprando, a estranha história de Deus e do homem como criador cresceu e se multiplicou. O pequeno fogo do engano rapidamente se converteu numa tormenta que ameaçava toda a vida. Os homens começaram a dizer que o sangue da mulher é ruim, que as mulheres e seu sangue da Lua eram sujos e perigosos. Que a Terra era suja e perigosa. Começaram a pensar em si como apartes da Terra, como sendo melhores que a Terra, assim como sendo apartes da mulher e melhores do que elas, como seus comandantes.

As mulheres fizeram o seu melhor esforço para manter os dias sagrados de seu sangue. Fizeram o melhor para ensinar suas filhas como aprender com as plantas, os animais e a Terra. E fizeram o seu melhor para serem fiéis aos seus mistérios de Lua e de sabedoria da Grande Mãe. Mas os homens se perderam. Sem a sabedoria da mulher, sozinha e à parte, os homens se esqueceram das formas de paz. Se esqueceram que a Terra é sua mãe e que todas as mulheres são sagradas. E começaram a lutar. Num primeiro momento, lutaram somente entre si, mas logo propagaram a doença e começaram a lutar contra as mulheres. Começaram a torturar as mulheres e a matá-las. Deram à mulher a dor e ao homem o prazer. Queimaram a mulher na fogueira para impedir qualquer uma de usar as formas de cura por meio das plantas. Queimadas até a morte, para que não sobrasse um pedaço sequer de sua carne, pois elas os assustavam. O poder entre as pernas parecia incontrolável. Então, de tanto dizer, uma e outra vez, elas começaram a crer que aquilo estava certo, que ela não era sagrada e que não foi feita a imagem do Deus.

Eles disseram que as mulheres são sim seres inferiores, que os animais são inferiores e as plantas também. Logo começaram a idealizar formas de usar a mulher e os animais sem respeito a seus poderes e ao seu caráter sagrado. Começaram a crer que sua visão de mundo era a única. De um lado a outro, a mulher era maltratada, junto com plantas e animais. Eles os usaram sem os ter em consideração, omitindo os gritos de dor. Confundiram algumas mulheres de maneira tão terrível que essas começaram a crer que, na verdade, eram sujas e precisavam de castigo. Torturaram-nas com a finalidade de mostrar que sua sabedoria era uma mentira.

Mas a Grande Mãe vive em cada mulher. E em cada lugar, a cada época, a Grande Mãe se mostra a si mesma na vida de cada mulher. Coma, Ela sussurra nos sonhos da mulher. E a mulher se joga para fora da cama e se põe a caminhar descalça sob a luz da Lua. É o anseio. Ela sente uma profunda agitação em seu ventre. Ela olha para a Lua e fantasia que hoje ela lhe fala. Vocês sãos agradas. Você é o princípio e o final de toda a existência. Sou você e você está comigo. Mantenha os dias sagrados do seu sangramento e eu vou compartilhar a sabedoria das plantas dos animais e da própria Terra.

Pode acreditar que isso é certo? Atrevem-se a crer na verdade das palavras que ela parece escutar? Durante toda a sua vida, lhe disseram que não era o suficiente, nem bastante inteligente e nem suficientemente forte. Todos parecem dizer que ela é demasiadamente redonda, emocional e demasiado sensível. Que não era sagrada, que era o oposto do sagrado. Todos os dias de sua vida ela escutou as maravilhas de ser homem, criador. Ela escutou tantas vezes que a verdade é uma: Deus é um homem, todo poderoso, porque todos os homens são poderosos (e as mulheres são débeis). Deus é limpo e todos os homens estão limpos (e as mulheres são sujas). Deus é puro e todos os homens são puros (e a mulher é sujeira). Deus nunca sangra entre suas pernas (é por isso que o sangue da mulher é uma doença, uma maldição, um castigo). Como ela pode acreditar que seu sangue é sagrado? Como se pode permitir que ela sinta prazer e tenha um nome santo?Como ela pode se atrever a crer quem é uma Deusa?

Sim, a Deusa! A Deusa que está viva em cada mulher, em cada lugar, em cada momento. A Deusa que sussurra em nossos sonhos, que sorri em nossos sonhos. Que desperta o sangue de nossos ventres. A Deusa que sabe que cada mulher é sábia, poderosa e sagrada. A Deusa que nos pede: guarde o dia de seu sangue sagrado, recorde que seu sangue é o sangue da vida e da paz. Da-me de comer o seu sangue, o tempo da sua Lua de sangue. Oh minha filha, minha amante!

Volte para mim, volte para si mesma. Recorde-se de ti. Recorde-se de mim. Eu sou a Grande Mãe. Eu sou a Deusa. Eu sou a Mulher Sábia. Escuta as minhas palavras e a minha canção. Eu estou em você. Minha historia é a tua historia, a verdadeira história do nascimento, da vida e da morte. Coma de mim. Você é mulher por mim, conduzida por mim, que existo através de você. Somos as que criam. Somos as que alimentam. Somos as que abrem as portam entre os mundos.

Ah irmã, querida irmã, os laços são estreitos, a canção é apenas perceptível. Diga-me que não é tarde demais. Diga-me que me ouves e que crê em mim. Diga-me que a deusa regressou. Diga-me que está ouvindo as plantas e os animais e o seu profundo saber. Diga-me que sente revolver o sangue em teu ventre.

Diga-me que não é tarde demais. Diga-me que as irmãs estão despertando. Diga-me que o caminho da Lua está reconstruído. Diga-me que as palavras de White Búfalo Calf Woman (Mulher Búfalo Branco) não foram em vão. Diga-me que Kwan Yin do coração não está rompendo. Diga-me que Vênus é segura. E que Ártemis vaga livre na floresta, e que Lilith é bem vinda à sua mesa. Diga-me que se recorda de que o prazer é santo para mim. Diga-me que não há deleite na dor.

Diga-me que sinto chegar à tua essência profunda no tempo fora da mente. Diga-me que sente que eu despertei em você, em beleza e poder. Diga-me que vocês reclamam a sua verdade, não se omitindo com mentiras. Diga-me que recordas que é a Deusa, e que você eu somos a mesma. Diga-me que honras os teus ciclos.

Eu estou com você desde o começo, e estarei com você ate o final. Sou parte de você e você é parte de mim. Permita-me que te ame. Permita-se em honra a você. Permita-me regressar ao teu Lar.

SusAn Weed é uma bruxa verde e é uma mulher sábia. É a voz da Woman Wise Way , alta sacerdotisa Diânica e escreve sobre a saúde da mulher e sua espiritualidade.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

+ IMAGENS












MAGIA

A Magia é uma Arte antiga, na verdade tão velha quanto o Homem e (de um jeito ou de outro) vem sendo praticada até hoje...
Costuma ser definida de mil maneiras diferentes, entretanto, há um consenso, entre os estudiosos do oculto, quanto à sua "essência", pois, em geral, estes a explicam como sendo uma "força" que combinaria a "energia psíquica" com a vontade do mago para provocar as "modificações" desejadas por este.
Trocando em miúdos, o magista conseguiria levantar uma ponta do véu que ainda encobre certos segredos da Natureza e, teoricamente, poderia usá-los em seu próprio favor. Ou do próximo...
Éliphas Lévi, um velho magista do século IX, afirmava que qualquer magia é sempre absolutamente natural e, nem poderia ser de outra forma, porque a MAGIA é regida pelas mesmas leis que regem a Natureza e o próprio Homem como um todo.Neste caso, em si mesma não teria "cor" alguma, pelo simples fato de ser tão neutra como qualquer outra força existente na Natureza.
Portanto, se você ouviu falar em "magia branca" e "magia negra", trate de esquecer. Magia é magia e ponto final. Sua "cor" sempre será unicamente determinada pela vontade do operador, suas intenções e sensações.
Por isso, os pequenos altares domésticos dos praticantes da Arte, basicamente procuram representar a síntese destas forças naturais e a integração do operador com elas.

O QUE A WICCA NÃO É

Os praticantes da Wicca:


Não acreditam nem adoram o que os Cristãos conhecem como Diabo, Satã ou Demônio.
Não sacrificam animais ou seres humanos em seus ritos.
Não odeiam ou desprezam os Cristãos, a Bíblia, Jesus Cristo, os Islâmicos, o Alcorão, Maomé ou qualquer outra expressão religiosa. Ao contrário, advogam o direito à plena liberdade de expressão religiosa para todas as pessoas, independente de credo ou denominação.
Não são sexualmente anticonvencionais (embora o respeito à diversidade, inclusive a sexual, seja um valor importante para eles).
Não encorajam o abuso de drogas e orgias sexuais durante seus ritos privados ou públicos (embora possam existir indivíduos e grupos ligados à WICCA que façam uso de tais práticas, essa postura não é oficial ou ideologicamente aprovada).
Não são cristãos, islâmicos, judaicos ou praticantes de qualquer outra religião monoteísta. Além disso: Todos os praticantes de Wicca são pagãos, mas nem todos os pagãos são praticantes de Wicca. Todos os praticantes de WICCA são bruxos, mas nem todos os bruxos são praticantes de Wicca.






O DEUS





Deus tem sido reverenciado há eras. Ele não é a deidade rígida, o todo poderoso do cristianismo ou do judaísmo, tampouco um simples consorte da Deusa, eles são iguais, unidos.
Vemos o Deus no sol, brilhando sobre nossas cabeças durante o dia, nascendo e pondo-se no ciclo infinito que governa nossas vidas. Sem o Sol, não poderíamos existir; portanto, ele tem sido cultuado como a fonte de toda a vida, o calor que rompe as sementes adormecidas, trazendo-as para a vida, e instiga o verdejar da terra após a fria neve do inverno.
O Deus é também gentil com os animais silvestres. Na forma do Deus Cornífero, Ele é por vezes representado com chifres em Sua cabeça. Em tempos antigos, acreditava-se que a caça era uma das atividades regidas pelo Deus, enquanto a domesticação dos animais era vista como voltada para a Deusa.
Os domínios do Deus incluíam as florestas intocadas pelas mãos humanas, os desertos escaldantes e as altas montanhas. As estrelas, por serem na verdade sóis distantes, são por vezes associadas a Seu domínio.
O Deus é a colheita plenamente madura, o vinho inebriante extraído das uvas, o grão dourado que balança num campo, as maças vicejantes que pendem de galhos verdejantes nas tardes de outono.
Em conjunto com a Deusa, também Ele celebra e rege o sexo. A Wicca não evita o sexo ou fala sobre ele por palavras sussurradas. É uma parte da natureza e assim é aceito. Por trazer prazer, desviar nossa consciência do mundo cotidiano e perpetuar nossa espécie, é considerado um ato sagrado.
Símbolos normalmente utilizados para representar ou cultuar o Deus incluem a espada, chifres, a lança, a vela, ouro, bronze, diamante, a foice, a flecha, o bastão mágico, o tridente, facas e outros. Criaturas a Ele sagradas incluem o touro, o cão, a cobra, o peixe, o gamo, o dragão, o lobo, o javali, a águia, o falcão, o tubarão, os lagartos e muito mais.
Desde sempre o Deus é o Pai Céu e a Deusa a Mãe Terra. O Deus é o céu, da chuva e do relâmpago, que desce sobre a Deusa e une-se a ela, espalhando as sementes sobre a terra, celebrando a fertilidade da Deusa.
O Deus de chifres, para as bruxas, é o companheiro masculino da Deusa Tripla. Ele é dinâmico, a força vital, aspecto masculino de toda a natureza. Nós o veneramos porque veneramos a vida. Ele possui chifres e cauda que denotam seu conhecimento instintivo animal, sua sapiência natural. Este Deus é parte bicho e parte homem, mescla da força vital e perícia xamânica. O Deus Cornífero, como a Deusa, é sexual, terreno, apaixonado e sábio. "Cruel e mau ele não é". Entre os dois, a Mãe Deusa e seu Companheiro, se constrói o mundo. Eles o construíram de amor e desejo. Portanto, sua sexualidade é uma força vital sagrada, verdadeira experiência espiritual. Potencialmente a mais espiritual das experiências.
Talvez este seja o fato mais surpreendente de todos à respeito da feitiçaria. Não deveria ser. Mas preciso admitir que neste mundo, como ele é atualmente, a maioria das pessoas encontra dificuldades em relacionar sexo com espiritualidade. É contra tudo que as religiões patriarcais ensinam sobre o sexo, como vergonhoso e sujo no máximo necessário para a continuidade da espécie.




A DEUSA





A Deusa é Mãe Universal.
É a fonte da fertilidade, da infinita sabedoria e dos cuidados amorosos. Segundo a Wicca ela possui 3 aspectos: a Donzela, a Mãe e a Anciã, que simbolizam as luas crescente, cheia e minguante. Ela é a um só tempo o campo não arado, a plena colheita e a terra dormente, coberta de neve. Ela dá à luz abundância. Mas, uma vez que a vida é um presente Seu, ela a empresta com a promessa da morte. Esta não representa as trevas e o esquecimento, mas sim um repouso pela fadiga da existência física. É uma existência humana entre duas encarnações.
Uma vez que a Deusa é a natureza, toda a natureza, Ela é tanto a tentadora como a velha; o tornado e a chuva fresca de primavera, o berço e o túmulo.Porém, apesar de Ela ser feita de ambas as naturezas, a Wicca a reverencia como a doadora da fertilidade do amor e da abundância, se bem que seu lado obscuro também é reconhecido. Nós a vemos na Lua, no silencioso e fluente oceano, e no primeiro verdejar da primavera. Ela é a incorporação da fertilidade e do amor.A Deusa é conhecida como a rainha do paraíso, Mãe dos Deuses que criaram os Deuses, a Fonte Divina, Matriz Universal, a Grande Mãe e incontáveis outros títulos.Muitos símbolos são utilizados na Wicca para honrá-la como o caldeirão, a taça, o machado, flores de cinco pétalas, o espelho colares e conchas do mar, pérolas, prata, esmeralda... para citar uns poucos.Para governar a Terra, o Mar e a Lua, muitas e variadas são Suas criaturas. Algumas incluíram o coelho, o urso, a coruja, o gato, o cão, o morcego, o ganso, a vaca, o golfinho, o leão, o cavalo, a corruíra, o escorpião, a aranha e a abelha. Todos são sagrados à Deusa.A Deusa já foi representada como uma caçadora correndo com seus cães de caça, uma deidade espiritual caminhando pelos céus com pó de estrelas saindo de seus pés, a eterna mãe com o peso da criança, a tecelã de nossas vidas e mortes, uma anciã caminhando sob o luar buscando os fracos e esquecidos, assim como muitos outros seres. Mas independentemente de como A vemos, Ela é onipresente, imutável e eterna.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Feitiços de Proteção

Algumas pessoas dizem que não acreditam em feitiços, acreditando que com isto estarão fora do alvo de ataques energéticos.
Infelizmente ninguém está a salvo do stress, da raiva, de preocupação, do cansaço por excesso de atividade ou responsabilidade. Pois nestes momentos de desequilíbrio emocional é quando o sistema imunológico diminui e afina sua aura. A aura, que é a proteção espiritual do corpo físico, de vez em quando fica débil, fina e esburacada, cheia de manchas. É justo nestas horas que os ataques psíquicos podem tornar sua vida um calvário.
A inveja, segundo os árabes e os ciganos, é tão letal como o veneno de uma víbora. Inclusive existem estudos que medem a frequência de onda de um olhar ou pensamento "envenenado", quando se pode detectar um tipo de energia extremamente maléfica.
Emitimos ondas físicas quando pensamos, não só quando falamos. Portanto uma emissão de pensamento negativo, quando direcionada a uma pessoa cansada ou mais sensível pode ser extremamente daninha.
Estar consciente, sem paranóias, de que existe o bem e o mal, independente de que você não faça maldade a ninguém, é uma forma de estar atenta a certos sintomas que indicam que você está com algum malefício. Você pode montar um "KIT básico" de Limpeza energética:
-uma cumbuca de cerâmica ou ferro que resiste ao calor.
- carvão vegetal
- velas brancas (limpeza), rosa (afetividade), verde (saúde), azul (proteção) e outras.
- incensos em goma: incenso, arruda, mirra, benjoim. Este tipo de incenso dura muito, portanto compre pequenas quantidades e use uma pontinha cada vez.
- ervas secas: lavanda, alecrim, sálvia, eucalipto, menta, erva mate, café em grãos.
- espécies: cravo-da-índia, canela, gengibre, noz moscada, casca de alho.
- sal grosso, fósforos, carvão comum, vinagre de maçã, colher.



Os elementos mágicos ou ritualísticos devem ser consagrados apenas a este fim. Se por acidente alguém utilizar de outra forma, principalmente se for tocado com a energia animal ou sangue, substitua por outro virgem. É comum nos concentrarmos no mais complexo e esquecermos o "simples e eficaz", que pode ser muito útil pra clarear a mente e manter o ambiente doméstico saudável, livre de influências externas que prejudiquem nosso bom senso e nossas decisões. Apesar de terem sido banalizadas como "simpatias", esses feitiços são muito eficazes, além de serem um ótimo treinamento nas práticas mágicas. Por isso resolvi postar umas receitinhas bem básicas e simples, de domínio público, geralmente utilizadas independente da tradição mágica/esotérica que pessoa siga, para manter-se livre de vibrações indesejáveis. Claro, com o tempo, o estudo e a intuição, você poderá conhecer mais a fundo cada propriedade mágica e criar suas próprias receitas. Mas é importante lembrar: isso não substitui o trabalho de auto-conhecimento e o que eu chamo de "higiene energética pessoal". Como diriam os antigos, não adianta espantar os urubus e não tirar a carcaça do quintal! :)


Limpeza com SAL

Material Necessário:

- Uma lata ou cumbuca. (sem contágio de produto animal)
- Carvão vegetal em barra ou brasa de churrasco (não serve aquela brasa em que pingou sangue ou gordura!). Se quiser usar o carvão de churrasco pode começar com álcool, depois avive o fogo com um secador de cabelos.
- Sal grosso ou sal marinho.

Acenda o carvão totalmente, coloque um punhado de sal grosso sobre as brasas e visite cada ambiente, iniciando a limpeza de dentro para fora, ou seja, dormitórios, banhos, sala, e terminando na sala ou cozinha, se esta é sua saída. Nos lugares de acúmulo de negatividade as brasas estalarão, não tema, isto significa que sua limpeza está funcionando.
Atenção: Afaste crianças e animais antes de realizar uma limpeza energética. Tome cuidado com os olhos, as pedras de sal estarão quentes quando saltem.
Os restos de material deverão ser colocados em água corrente ou lixo, desde que tudo saia imediatamente de seus domínios. Caso você viva em uma casa vá até a rua e atire tudo depois do meio-fio, no sentido em que corre a água da chuva. Depois de uma limpeza destas ou defumações, abra todas as janelas e tome um banho para não ficar com nenhuma carga. JAMAIS coloque restos de sal no jardim ou em vasos de plantas! Tal procedimento tornará a terra sem vida.

Limpeza com ERVAS

Material Necessário:

- Uma cumbuca de cerâmica
- cravo-da-índia, erva-mate, café em grãos, incenso em goma, alecrim seco.

Triture ou esmague em separado o cravo e o café. Acenda o carvão vegetal, coloque o incenso em goma ou moído sobre as brasas, adicione o cravo, a erva-mate e por último os grãos de café esmagado.
Defume de dentro para fora, terminando na cozinha ou área de serviço. O que sobrar pode ser colocado na soleira da porta de entrada, se possível pelo lado de fora. Deixe queimar até o fim, revolvendo de vez em quando as ervas para posicionar sobre as brasas. As cinzas poderão ser colocados em um embrulho de papel no lixo ou jardim.

Limpeza com ÁGUA

Um dos elementos mais eficientes para limpeza de emoções e de aura é a água, que poderá ser utilizada como último enxágüe após um banho normal. Outra maneira seria usar os preparados na banheira. Usar um punhado de ervas para cada 500ml de água e deixar o corpo secar naturalmente. As fórmulas com água também podem ser usada na casa em forma de chá, para lavar o piso, portas e janelas.

Algumas propriedades:

- Erva-mate - remove impurezas astrais como mau olhado e vampirismo.
- Cravo-da-índia - protege de influências negativas de outras pessoas, dissipa efeitos de pensamentos obsessivos. (1 colheres de chá p/500ml).
- Alecrim - a erva mágica, serve para tudo, protetora por excelência de todo tipo de ataque, seja astral ou físico.
- Café - acalma os adolescentes, proporciona um sono tranqüilo, protege o plano mental, afasta entidades negativas ou fantasmas dos mortos ou miasmas de doentes.
- Lavanda - lava tudo, limpa, purifica.

ÁGUA DE GUERRA

Na verdade é uma fórmula usada tanto para defesa como para ataque, já que é um condutor poderoso de energias. Serve para contra atacar inimigos e perigos, mesmo aqueles ocultos. Pode ser usada para lavar o piso, selar as portas e janelas de ataques energéticos, marcar território de proteção contra invasão de ladrões, feiticeiros, afastar vampiros energéticos, espíritos errantes, etc. Pode ser usada para proteger o terreno ou casa antes de uma viagem; também pode ser usada para bloqueiar todas as portas e janelas. Existe uma infinidade de uso, depende da habilidade de quem a usa.
Coloque 350 gramas pregos de ferro, destes antigos que enferrujam bastante, em uma garrafa grande (2 litros) com 1 litro de água. Deixe bem tapada até que a água esteja avermelhada. Mova de vez em quando e abra para oxigenar e continuar o processo de enferrujamento. Depois de 10 dias já poderá agregar mais um litro de água potável. Depois disto pode guardar em um lugar fresco e escuro ou na geladeira. Apenas tenha cuidado em colocar uma etiqueta bem chamativa!

Reversão com argila

A fórmula a seguir é muito eficaz contra encantamentos que tem por objetivo impedir que você progrida financeiramente ou que se estabilize no trabalho.
Para cortar o efeito deste tipo de encantamento negativo, use uma xícara branca (tipo de restaurante chinês) e coloque argila de modelagem até a metade. Deixe-a num canto de seu quarto, perto de sua cama, por sete dias. Diga todos os dias: Tu és a terra e a água de que é feito o mundo, seja tu a terra e a água que absorve todo mal que é lançado contra mim. Depois de uma semana jogue a terra fora pela porta dos fundos, se não tiver porta dos fundos use a da frente mesmo, desde que saia de seus campo de força energético é o que importa. No dia seguinte lave xícara e pode voltar a usar para o mesmo encantamento se for necessário.

Carvão, Sal Grosso ou Giz

O Carvão não deve estar no mesmo recipiente que o sal, mas espalhe-os em pequenos pedacinhos pelo ambiente. Sempre nas partes baixas. O Sal Grosso pode ser colocado em um pratinho num local bem alto, perto das portas de acesso. O Giz deve ser colocado em pequenos pedaços ou inteiros dentro dos armários e gavetas. Quem padece de dores na coluna pode prender um pedaço de giz na cadeira e colocar um embaixo da cama.

Lembre-se: Em magia não adianta nada fazer as coisas de forma automática, sem colocar energia, força, vontade, empenho e determinação. Acima de tudo é preciso desenvolver habilidades e conhecimentos para entender e aplicar corretamente o próprio poder de modificar o estado das coisas. Todos são capazes de realizar o inimaginável para a maioria, desde que pratique e insista.
Assuma a responsabilidade de utilizar seu poder de interagir com o Universo. Somos parte dessa Energia Universal, e ela não está além desta vida terrena, no céu ou após a morte. O lugar é aqui e agora. Também somos geradores e receptores de todas as formas de ondas negativas e positivas que se encontram no planeta, cabendo a cada um de nós utilizar esse poder de forma consciente, fazendo nossas escolhas e assumindo-as.

FONTE:http://ipaneladebarro.blogspot.com/2008/08/feitios-de-proteo.html

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Mas afinal o que é uma bruxa?

Todos os dias, alguém me pergunta o que é ser uma bruxa.
Esta é uma pergunta fácil e difícil de explicar.
Uma bruxa é, antes de tudo, alguém que está em contato
com energias sutis. Olhamos ao nosso redor e vemos mais
do que matéria. Vemos o íntimo, o Espírito das coisas nas
coisas. E trabalhamos com este espírito.
Se você olhar a seu redor, verá que tudo se compõe de uma
troca de energias entre você e o seu ambiente. A física nos
coloca que o Universo inteiro é composto de energia.
Essa energia possui freqüências diferenciadas. Da mesma
forma que a luz pode se decompor em cores, a energia básica
do Universo se fragmenta em diversas manifestações físicas e
mentais. Na origem da criação, no momento primeiro do Big
Bang, existiam apenas algumas formas básicas de partículas
que foram se diversificando e formam hoje tudo o que você vê,
e até o que você não vê.

Os átomos que compõem tudo o que existe daqui ao infinito
são partículas fundamentais que se atraem ou se repelem.
E a força que faz com que esta atração ou rejeição aconteça
é uma energia que ninguém ainda conseguiu definir. Alguns
chamam de Acaso, outros de Deus, outros simplesmente de
Universo. Qualquer que seja a imagem que o Homem crie
para definir esta Força, nós bruxas acreditamos que existe
uma vontade de fazer com que as partículas se agreguem ou
desagreguem. Esta idéia permeia um princípio básico da
Magia: o princípio de que tudo o que ocorre possuiu uma
Vontade em sua base.

Outro dado é que a Física hoje já trabalha com a hipótese
de que o observador altera o comportamento do objeto
observado. E o que para os físicos é novidade, para nós,
bruxas, é algo antigo e comprovado.
Em síntese, a Magia consiste em trabalhar em estado
alterado de consciência para entrar em contado com
as Energias Básicas por trás das coisas; e manipular
sua manifestação de acordo com a Vontade Maior do
Universo, em sintonia com a vontade da bruxa.

Dois elementos básicos entram na composição desta
manipulação: a crença de que é possível e o desejo
sincero de se conseguir esta manipulação. Dois
elementos poderosos - fé e desejo - que podem
modificar tudo que existe em você e fora de você.
Isto é Magia. Isto é ser bruxa!

Fonte:Jeane Silveira
http://witchclubhouse.blogspot.com/

A Lua

A Lua é um satélite natural da terra e como tal rege os elementos vivos do nosso ambiente. Talvez o mais conhecido dos seus efeitos seja o de regular as marés, mas sem dúvida a sua ação é maior do que isso. Sabe-se que a Lua está diretamente ligada à vida orgânica da Terra. Tanto que sua influência é nítida nas plantações, nos animais, e até no organismo das pessoas regulando desde processos digestivo até o equilíbrio hormonal. Astrologicamente ela rege o signo de Câncer ( seu domicílio), tendo como signo oposto Capricórnio (seu exílio), e sua exaltação em touro. Ela representa a mãe, a avó, a bisavó, enfim é feminina. Governa o ciclo menstrual, a concepção e os órgãos digestivo ( não é à toa que seu elemento é a água). A segunda-feira é o dia da semana regido por ela e à noite sua influência é mais forte.


* Lua Nova - Ela abre os horizontes e traz à tona tudo o que se escende no lado mais íntimo do ser humano.
* Lua Crescente - Preparação, transformação e força. É tempo de renovar projetos e idealizar o futuro.
* Lua Minguante - Força para terminar tudo o que foi iniciado. Entusiasmo para retornar projetos antigos: esta é a fase de conclusão.
* Lua Cheia - É a fase da energia plena, que deve ser aproveitada em sua vida.






FONTE: http://witchclubhouse.blogspot.com/

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

BELTANE - (Hemisfério Sul: 31 de Outubro)

Hemisfério Norte: 1o de Maio
Hemisfério Sul: 31 de Outubro

Também conhecido como Dia 1o de Maio, Dia da Cruz, Rudemas e Walpurgisnacht, o Sabbat Beltane é derivado do antigo Festival Druida do Fogo, que celebrava a união da Deusa ao seu consorte, o Deus, sendo também um festival de fertilidade. Na Religião Antiga, a palavra "fertilidade" significa o desejo de produzir mais nas fazendas e nos campos e não a atividade erótica por si só.

Beltane celebra também o retorno do sol (ou Deus Sol), e é um dos poucos festivais pagãos que sobreviveu da época pré-cristã até hoje e, em sua maior parte, na forma original. é baseado na Floralia, um antigo festival romano dedicado a Flora, a deusa sagrada das flores. Em tempos mais antigos, esse festival era dedicado a Plutão, o senhor romano do Submundo, correspondente do deus Hades da mitologia grega. O primeiro dia de maio era também aquele em que os antigos romanos queimavam olíbano e selo-de-salomão e penduravam guirlandas de flores diante de seus altares em honra aos espíritos guardiães que olhavam e protegiam suas famílias e suas casas.

No dia de Beltane o sol está astrologicamente no signo de Tauros, o Touro, que marca a "morte" do Inverno, o "nascimento" da Primavera e o começo da estação do plantio. Beltane inicia-se, acendendo-se, segundo a tradição, as fogueiras de Beltane ao nascer da lua na véspera de 1o de Maio para iluminar o caminho para o Verão. Realiza-se o ritual do Sabbat em honra à Deusa e ao Deus, seguido da celebração da Natureza, que consiste de banquetes, antigos jogos pagãos, leitura de poesias e canto de canções sagradas. São realizadas várias oferendas aos espíritos elementais, e os membros do Coven dançam de maneira muito alegre, no sentido destrógiro, em torno do Mastro (símbolo fálico da fertilidade). Eles também entrelaçam várias fitas coloridas e brilhantes para simbolizar a união do masculino com o feminino e para celebrar o grande poder fertilizador do Deus. A alegria e o divertimento costumam estender-se até as primeiras horas da manhã, e, ao amanhecer do dia 1o, o orvalho da manhã é coletado das flores e da grama para ser usado em poções místicas de boa sorte.

Os alimentos pagãos tradicionais do Sabbat Beltane são frutas vermelhas (como cerejas e morangos), saladas de ervas, ponche de vinho rosado ou tinto e bolos redondos de aveia ou cevada, conhecidos como bolos de Beltane. Na época dos antigos druidas, os bolos de Beltane eram divididos em porções iguais, retirados em lotes e consumidos como parte do rito do Sabbat. Antes da cerimômia, uma porção do bolo era escurecida com carvão, e o infeliz que a retirava era chamado de "bruxo de Beltane", e tornava-se a vítima sacrificial a ser atirada na fogueira ardente.

Nas Terras Altas da Escócia, os bolos de Beltane são usados para adivinhação, sendo atirados pedaços deles na fogueira como oferenda aos espíritos e deidades protetores.

Incensos: olíbano, lilás e rosa.
Cores das velas: verde escuro.
Pedras preciosas sagradas: esmeralda, cornalina laranja, safira, quartzo rosa.
Ervas ritualísticas tradicionais: amêndoa, angélica, freixo, campainha, cinco-folhas, margarida, olíbano, espinheiro, hera, lilás, malmequer, barba-de-bode, prímula, rosas, raiz satyrion, aspérula e primaveras amarelas.


Ritual do Sabbat Beltane

O Sabbat Beltane dos Bruxos começa oficialmente ao nascer da lua da Véspera de 1o de Maio (ou de Novembro, no hemisfério sul), sendo tradicionalmente realizado no alto de uma montanha onde são acesas as imensas fogueiras de Beltane para iluminar o caminho para o verão e aumentar a fertilidade nos animais, nas sementes e nas casas. (Antigamente as grandes fogueiras da Irlanda, que simbolizavam o Deus Sol doador de vida, eram acesas com a centelha de uma pederneira ou pela fricção de duas varetas.)

Se você planeja festejar Beltane em ambiente fechado, deverá acender o fogo em um local apropriado. Certifique-se de colocar um galho ou ramo de sorveira sobre o fogo para reverenciar os espíritos guardiães de sua casa e sua família, trazendo boa sorte para a casa e mantendo afastados os fantasmas, duendes e fadas malévolos. Se você não tiver lugar apropriado, poderá acender 13 velas verdes-escuras para simbolizar a fogueira de Beltane.

Vista-se com cores brilhantes da Primavera (a não ser que prefira trabalhar sem roupa) e use muitas flores coloridas e de odor forte nos cabelos. Antes de vestir-se para a cerimônia, medite e banhe-se à luz de velas com ervas para limpar seu corpo e sua alma de quaisquer impurezas ou energias negativas.

Comece traçando um círculo de 3m de diâmetro e monte um altar no centro, voltado para o leste. No topo do altar, coloque duas estatuetas para representar a Deusa da Fertilidade e Seu consorte, o Deus Cornífero. Ao lado de cada uma delas, um incensório contendo olíbano e selo-de-salomão. No lado direito do altar, coloque um punhal consagrado e um cálice cheio de vinho. Acenda 13 velas verdes-escuras em torno do círculo.

Prepare uma coroa de flores do campo que florescem na Primavera, tais como margaridas, prímulas, primaveras ou malmequeres, e coloque-a no altar diante dos símbolos da Deusa e do Deus. Pode ser colocado um pequeno mastro decorado (com cerca de 1m de altura) à direita do altar, enfeitado com flores e fitas de cores brilhantes.

Ajoelhe-se diante do altar. Acenda as velas e o incenso. Feche os olhos, concentre-se na imagem divina da Deusa e do Deus, e diga: EM HONRA à DEUSA E AO DEUS CORNíFERO, E SOB A SUA PROTEçãO, INICIA-SE AGORA ESTE RITUAL DO SABBAT.

Abra os olhos. Pegue o punhal que está no altar, cumprimente com ele o leste, e diga: OH, DEUSA DE TODAS AS COISAS SELVAGENS E LIVRES, A TI EU CONSAGRO ESTE CíRCULO. Segure o punhal em saudação na direção sul e diga: ABENçOADA SEJA A VIRGEM DA PRIMAVERA, PARA ELA EU CANTO ESTA PRECE DE AMOR. ELA TORNA VERDE AS FLORESTAS E OS PRADOS, OH, DEUSA DA NATUREZA, ELA REINA SUPREMA.

Segure o seu punhal em saudação ao oeste, e diga: OLíBANO E SELO-DE-SALOMãO, GRAçAS A ELA QUE FAZ GIRAR A RODA!

Segure o punhal e saúde o norte, dizendo: ABENçOADO SEJA O SENHOR DA PRIMAVERA, PARA ELE EU CANTO A PRECE DO AMOR. DEUS DIVINO DAS TREVAS, DEUS DIVINO DA LUZ, ESTA NOITE EU CELEBRO OS SEUS PODERES FERTILIZANTES.

Coloque o punhal de volta no altar. Pegue a coroa de flores do campo e coloque-a no alto de sua cabeça. Quando esse ritual é realizado por um Coven, o costume é que o Alto Sacerdote a coloque sobre a cabeça da Alta Sacerdotiza. Ajoelhe-se diante do altar, olhando para as imagens das deidades pagãs da fertilidade. Abra os braços e diga: ESPíRITOS DA áGUA E DO AR, EU PEçO QUE OUçAM A MINHA PRECE: QUE O CéU E O MAR PERMANEçAM LIMPOS, QUE A TERRA SEJA FéRTIL E VERDE. ESPíRITOS DO FOGO, ESPíRITOS DA MãE TERRA, QUE O MUNDO SEJA ABENçOADO COM PAZ, AMOR E ALEGRIA.

Pegue o cálice de vinho e levante-o com o braço esticado, e, enquanto derrama algumas gotas no chão, como libação à Deusa e ao Deus, feche os olhos e diga: QUEIMEM OS FOGOS SAGRADOS DE BELTANE, ILUMINEM O CAMINHO PARA O RETORNO DO SOL. AS TREVAS DO INVERNO DEVEM AGORA TERMINAR, A GRANDE RODA DA VIDA GIROU NOVAMENTE. QUE ASSIM SEJA.

Beba o resto do vinho do cálice e, então, coloque-o de volta no altar. Apague as velas, mas deixe que o incenso termine de queimar. O ritual está agora completo, devendo ser seguido de um banquete, de cantos e danças na direção do movimento do sol em torno da fogueira de Beltane ou do mastro decorado para simbolizar a união divina da Deusa com o Deus.

SAMHAIN - (Hemisfério Norte: 31de Outubro e Hemisfério Sul : 1 de Maio)

Hemisfério Norte: 31de Outubro
Hemisfério Sul : 1 de Maio

O Samhain (pronuncia-se "sou-en"), também chamado de Halloween, Hallowmas, Véspera de Todos os Sagrados, Véspera de Todos os Santos, Festival dos Mortos e Terceiro Festival da Colheita, é o mais importante dos oito Sabbats dos Bruxos. Como Halloween, é um dos mais conhecidos de todos os Sabbats fora da comunidade wiccana e o mais mal-interpretado e temido.

Samhain celebra o final do Verão, governado pela Deusa. (O nome Samhain significa "Final do Verão".)

Samhain é também o antigo Ano Novo celta / druida, o início da estação da cidra, um rito solene e o festival dos mortos. é o momento em que os espíritos dos seres amados e dos amigos já falecidos devem ser honrados. Houve uma época na história em que muitos acreditavam que era a noite em que os mortos retornavam para passear entre os vivos. A noite de Samhain é o momento ideal para fazer contato e receber mensagens do mundo dos espíritos.

A versão cristã do Samhain é o Dia de Todos os Santos (1o de novembro), que foi introduzido pelo Papa Bonifácio IV, no século VII, para substituir o festival pagão. O Dia dos Mortos (que cai a 2 de novembro) é outra adaptação cristã ao antigo Festival dos Mortos. é observado pela Igreja Católica Romana como um dia sagrado de preces pelas almas do purgatório.

Em várias regiões da Inglaterra acredita-se que os fantasmas de todas as pessoas destinadas a morrer naquele ano podem ser vistos andando entre as sepulturas à meia-noite de Samhain. Pensava-se que alguns fantasmas tinham natureza má e, para proteção, faziam-se lanternas de abóboras com faces horrendas e iluminadas, que eram carregadas como lanternas para afastar os espíritos malévolos. Na Escócia, as tradicionais lanternas Hallows eram esculpidas em nabos.

Um antigo costume de Samhain na Bélgica era o preparo de "Bolos para os Mortos" especiais (bolos ou bolinhos brancos e pequenos). Comia-se um bolo para cada espírito de acordo com a crença de que quanto mais bolos alguém comesse, mais os mortos o abençoariam.

Outro antigo costume de Samhain era acender um fogo no forno de casa, que deveria queimar continuamente até o primeiro dia da Primavera seguinte. Eram também acesas, ao pôr-do-sol, grandes fogueiras no cume dos morros em honra aos antigos deuses e deusas, e para guiar as almas dos mortos aos seus parentes.

Era no Samhain que os druidas marcavam o seu gado e acasalavam as ovelhas para a Primavera seguinte. O excesso da criação era sacrificado às deidades da fertilidade, e queimavam-se efígies de vime de pessoas e cavalos, como oferendas sacrificiais. Diz-se que acender uma vela de cor laranja à meia-noite no Samhain e deixá-la queimar até o nascer do sol traz boa sorte; entretanto, de acordo com uma lenda antiga, a má sorte cairá sobre todo aquele que fizer pão nesse dia ou viajar após o pôr-do-sol.

As artes divinatórias, como a observação de bola de cristal e o jogo de runas, na noite mágica de Samhain, são tradições wiccanas, assim como ficar diante de um espelho e fazer um pedido secreto.

Os alimentos pagãos tradicionais do Sabbat Samhain são maçãs, tortas de abóbora, avelãs, Bolos para os Mortos, milho, sonhos e bolos de amoras silvestres, cerveja, sidra e chás de ervas.

Incensos: maçã, heliotropo, menta, noz-moscada e sálvia.
Cores das velas: preta, laranja.
Pedras preciosas sagradas: todas as pedras negras, especialmente azeviche, obsidiana e ônix.
Ervas ritualísticas tradicionais: bolotas, giesta, maçãs beladona, dictamo, fetos, linho, fumária, urze, verbasco, folhas do carvalho, abóboras, sálvia e palha.


Ritual do Sabbat Samhain

Em muitas tradições wiccanas, é costume o Bruxo jejuar um dia inteiro antes de realizar o Ritual do Sabbat Samhain.

Após o banho ritual com água salgada para limpar seu corpo e sua alma de todas as impurezas e energias negativas, coloque uma veste cerimonial longa e preta (a menos que prefira trabalhar sem roupa, como fazem muitos Bruxos), use um colar de bolotas feito a mão em torno do pescoço e coloque uma coroa de folhas de carvalho na cabeça.

Comece traçando um círculo de 3m de diâmetro, usando giz ou tinta branca. Coloque 13 velas pretas e cor de laranja em torno do círculo e à medida que for acendendo cada uma diga: VELA SAMHAIN DO FOGO TãO BRILHANTE CONSAGRE ESTE CíRCULO DE LUZ.

No centro do círculo erga um altar voltado para o norte. No centro do altar, coloque três velas (uma branca, uma vermelha e uma preta) para representar, cada uma, uma fase da Deusa Tripla. à esquerda (oeste) das velas, coloque um cálice com sidra e um prato contendo sal marinho. à direita (leste) das velas, coloque um incensório com incenso de ervas e uma pequena tigela com água. Diante das velas (sul), coloque um sino de altar de latão, um punhal consagrado e uma maçã vermelha. Faça soar três vezes o sino do altar e diga: SOB O NOME SAGRADO DA DEUSA E SOB A SUA PROTEçãO, INICIA-SE AGORA ESTE RITUAL DO SABBAT.

Salpique um pouco de sal e água em cada ponto da circunferência em torno do círculo para limpar o espaço de qualquer negatividade ou influência maligna. Pegue o punhal com a mão direita e diga: OUçAM BEM, ELEMENTOS, AR, FOGO, áGUA E TERRA. PELO SINO E PELA LÂMINA EU VOS CONVOCO NESTA SAGRADA NOITE DE ALEGRIA.

Mergulhe a lâmina do punhal no cálice com a sidra e diga: EU TE OFEREçO, OH, DEUSA, ESTE NéCTAR DA ESTAçãO.

Coloque o punhal de volta no altar. Acenda o incenso e as três velas do altar e diga: TRêS VELAS EU ACENDO EM TUA HONRA, OH, DEUSA: BRANCA PARA A VIRGEM, VERMELHA PARA A MãE, PRETA PARA A ANCIã. OH DEUSA DE TODAS AS COISAS SELVAGENS E LIVRES, A TI ERGO ESTE TEMPLO SAGRADO EM PERFEITA CONFIANçA.

Pegue o cálice com ambas as mãos e derrame algumas gotas da sidra sobre a maçã, dizendo: AO VENTRE DA DEUSA MãE RETORNA AGORA O DEUS, ATé O DIA EM QUE NOVAMENTE RENASCERá. A GRANDE RODA SOLAR GIRA MAIS UMA VEZ. O CICLO DAS ESTAçõES NãO TERMINA NUNCA. ABENçOADAS SEJAM AS ALMAS DAQUELES QUE VIAJARAM ALéM PARA O MUNDO ESCURO DOS MORTOS. EU DERRAMO ESTE NéCTAR EM HONRA à SUA MEMóRIA. QUE A DEUSA OS ABENçOE COM LUZ, BELEZA E ALEGRIA. ABENçOADOS SEJAM! ABENçOADOS SEJAM!

Beba o restante da sidra e, então, coloque o cálice no seu lugar no altar. Faça soar o sino três vezes, desfaça o círculo apagando as velas de cores laranja e preta, começando do leste e movendo em direção levógira. Pegue a maçã do altar e enterre-a do lado de fora para nutrir as almas dos que morreram no último ano.

O Ritual de Samhain está agora completo e deve ser seguido de meditação, divinação em bola de cristal, recital de poesia mística inspirada na Deusa e uma prece dos Bruxos pelas almas de todos os membros da família e dos amigos que passaram para o Plano Espiritual.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Ritual de Auto-iniciação

O Ritual de Iniciação Pessoal é um compromisso entre você e os Deuses, portanto deve ser feito em absoluta solidão. Só faça junto com outras pessoas se houver total harmonia e intimidade entre vocês para isso. Escolha uma Lua Cheia, próxima de seu aniversário, se possível, vá para um lugar próximo à Natureza. Uma casa de campo ou praia é o ideal. No dia do Ritual, procure estar em contato com a Natureza. Tire o dia para descansar. Afaste-se um pouco da televisão, dos jornais e de todas as fontes de notícias negativas. Esqueça as contas, os problemas de família e tire o fone do gancho. Escolha um local onde você não seja interrompido. Antes do Ritual, limpe cuidadosamente o local onde ele será realizado, mentalizando que todas as energias negativas estão saindo juntamente com a poeira. Tome um banho relaxante. Um banho com pétalas de rosa e algumas gotas de perfume é o ideal.

Você pode seguir à risca o Ritual, ou usá-lo como base para criar o seu próprio Ritual, o que é bem melhor, pois você deve usar as suas próprias palavras para se dirigir aos Deuses sem ficar copiando ou simplesmente decorando textos de terceiros. Os Materiais necessários para o Ritual são os seguintes:


Uma vela preta representando a Deusa;
Uma vela branca representando o Deus;
Quatro velas para os Quadrantes, sendo uma vela preta para o ponto cardeal que represente a Terra, uma vela branca para o ponto cardeal que represente o Ar, uma vermelha para o ponto cardeal que represente o Fogo, e uma azul para o ponto cardeal que represente a Água (essas são as cores da tradição Celta, se você quiser, pode mudá-las);
Incensório com incenso do seu agrado;
Um pires de Sal Marinho;
Uma vasilha com água de fonte, de rio ou água mineral. Procure não usar água de torneira;
Um Athame ou qualquer punhal de sua escolha;
Um cálice de Vinho Tinto (caso você não possa tomar bebidas alcoólicas, substitua por suco de maçã ou água).
O Ritual deve ser feito após o crepúsculo. Deixe que o local escolhido receba a luz da Lua por alguns minutos. No dia do Ritual, procure não comer carne e nem tome drogas de espécie alguma. Faça um jejum ou coma frutas e verduras. Quando for para o Círculo, tenha a certeza de que levou o material necessário para não ter que sair e interromper o Ritual. Se houver outras pessoas na casa, peça para que você não seja interrompido durante aquele período. É melhor realizá-lo a sós, e nu(a); entretanto, se você não se sentir à vontade para trabalhar sem roupa, poderá usar uma veste cerimonial branca. Os cabelos ficam soltos. O objetivo do Ritual é nos apresentarmos aos Deuses da forma mais natural possível.

Acenda as velas em seus respectivos Quadrantes, que devem ser determinados com uma bússola antes do Ritual. Monte o Altar ao Norte, com a vela da Deusa à esquerda e a vela do Deus à direita. No Altar também devem estar o Cálice, o Athame, o sal, a água e o incenso, que deve ser aceso na vela da Deusa. Você também pode colocar no Altar coisas que sejam importantes para a sua vida e outros objetos de seu agrado. Lembre-se que a liberdade é a essência da Bruxaria. Se não estiver ao ar livre, apague as luzes e deixe que somente a luz das velas ilumine o aposento. Segure o Athame com ambas as mãos e trace o Círculo no sentido horário (ou anti-horário, caso queria seguir estritamente o comportamento da natureza no hemisfério sul), começando pelo Norte, e diga com energia e máxima concentração: EM NOME DA DEUSA E DO DEUS, EU TRAÇO ESTE CÍRCULO DE PROTEÇÃO! DELE NENHUM MAL SAIRÁ. DENTRO DELE, NENHUM MAL PODERÁ ENTRAR. PELOS GUARDIÕES DOS QUATRO QUADRANTES DA TERRA, EU CONVIDO TODOS OS ELEMENTAIS DA TERRA, DO AR, DO FOGO E DA ÁGUA PARA QUE ENTREM NESSE CÍRCULO E ME AUXILIEM NESSA INICIAÇÃO.

Volte ao Norte, beije a Lâmina do seu Athame e coloque-o novamente no Altar. Você deve estar no centro do Círculo, e todos os elementos dentro dele, nos seus respectivos quadrantes. Pegue o Sal, jogue três punhados na água e diga: ABENÇOADO SEJA O SAL QUE PURIFICA ESTA ÁGUA!

Segure a vasilha com a água salgada e dê três voltas ao redor do Círculo, em sentido horário (ou anti-horário, caso queria seguir estritamente o comportamento da natureza no hemisfério sul), enquanto deixa cair algumas gotas no chão. Volte ao Norte e diga: DA MESMA FORMA QUE O SAL PURIFICOU A ÁGUA, QUE MINHA VIDA SEJA PURIFICADA PELO AMOR DA GRANDE MÃE!

Pegue o Incenso e dê três voltas ao redor do Círculo, no sentido horário (ou anti-horário, caso queria seguir estritamente o comportamento da natureza no hemisfério sul), volte ao Norte e diga: ABENÇOADA SEJA ESTA CRIATURA DO AR, QUE LEVA ATÉ OS DEUSES A MINHA OFERENDA DE ALEGRIA!

Fique de fronte para o Altar e diga: EU (DIGA SEU NOME COMPLETO), COMPAREÇO DIANTE DOS DEUSES DE MINHA LIVRE E ESPONTÂNEA VONTADE, ABRINDO MEU CORAÇÃO PARA AS VERDADES E ENSINAMENTOS DA WICCA. JURO PERANTE OS DEUSES JAMAIS USAR MEUS CONHECIMENTOS PARA PREJUDICAR QUALQUER CRIATURA VIVA OU PARA FINALIDADES EGOÍSTAS. JURO NUNCA FAZER EM MEUS RITUAIS DE WICCA NADA QUE CAUSE DOR, SOFRIMENTO, HUMILHAÇÃO OU MEDO A NENHUMA CRIATURA VIVA. JURO DEFENDER MEUS IRMÃOS E IRMÃS NA ARTE, BEM COMO DIVULGAR A WICCA PARA TODOS OS QUE DESEJAREM APRENDER, SEM JAMAIS TENTAR CONVERTER NINGUÉM ÀS MINHAS CRENÇAS OU MENOSPREZAR AS CRENÇAS ALHEIAS. JURO AMAR O PLANETA TERRA, PROCURAR SEMPRE HARMONIA COM TODA A NATUREZA, E, ACIMA DE TUDO, COLOCAR SEMPRE A VIDA ACIMA DE INTERESSES MATERIAIS. JURO NUNCA PREJUDICAR MEUS IRMÃOS DA ARTE OU REVELAR SEUS NOMES MÁGICOS, EMBORA EU TENHA O DIREITO E A OBRIGAÇÃO DE ME DEFENDER CONTRA ENERGIAS OU PESSOAS NEGATIVAS QUE QUEIRAM ME PREJUDICAR OU FAZER MAL AOS QUE EU AMO. A PARTIR DE AGORA, NÃO EXISTE NENHUMA PARTE DE MIM QUE NÃO SEJA DOS DEUSES; PORTANTO, MEU CORPO É SAGRADO. NENHUMA PARTE DELE É IMPURA OU VERGONHOSA. MEU CORPO MERECE TODO O RESPEITO, COMO FONTE DIVINA DE VIDA E PRAZER. A PARTIR DE AGORA, A VERDADEIRA AUTORIDADE SOBRE MIM VIRÁ SOMENTE DOS DEUSES. NÃO ACEITAREI NENHUM TIPO DE OPRESSÃO, NEM FICAREI AO LADO DOS QUE OPRIMEM MEUS SEMELHANTES EM BUSCA DE PODER. A PARTIR DE HOJE, LUTAREI PARA QUE A JUSTIÇA DO DEUS E AMOR DA DEUSA SEJAM ESTABELECIDOS NA TERRA. ASSIM SEJA!

Pegue o Cálice, derrame um pouco de vinho no chão e diga: DA MESMA FORMA QUE ESTE VINHO SE DERRAMOU, QUE O PODER SEJA TIRADO DE MIM SE EU NÃO CUMPRIR MEU JURAMENTO!

Molhe o dedo no vinho, desenhe um Pentagrama no ponto entre as sobrancelhas e diga: QUE MEUS PENSAMENTOS SEJAM GUIADOS PELA LUZ DOS DEUSES!

Molhe o dedo novamente, e desenhe um Pentagrama em cada Pálpebra, dizendo: QUE MEUS OLHOS VEJAM O PODER DOS DEUSES EM TODA A NATUREZA.

Molhe o dedo, desenhe um Pentagrama em sua boca, dizendo: QUE TODAS AS MINHAS PALAVRAS SEJAM PARA PROPAGAR O AMOR DOS DEUSES.

Molhe o dedo e trace um Pentagrama em seu coração, dizendo: QUE A GRANDE MÃE ESTEJA EM MEU CORAÇÃO, PARA QUE EU TENHA COMPAIXÃO POR TODOS OS SERES HUMANOS E POR TODAS AS CRIATURAS.

Molhe o dedo e trace um Pentagrama na Região Sexual, dizendo: QUE MEU SEXO SEJA ABENÇOADO PELOS DEUSES, PARA QUE HAJA FERTILIDADE EM MINHA VIDA.

Molhe os dedos e trace um Pentagrama em cada um de seus pés, dizendo: QUE MEUS PÉS ME LEVEM PELOS CAMINHOS DA FELICIDADE, E QUE OS DEUSES GUIEM TODOS OS MEUS PASSOS.

Segure o Cálice com ambas as mãos, beba o Vinho, deixando um pouco no fundo, e diga: ESTE É O ÚTERO DA GRANDE MÃE. DELE EU VIM, E PARA ELE EU VOLTAREI COM ALEGRIA! QUE ASSIM SEJA, PARA O BEM DE TODOS!

Jogue o resto do vinho no chão.

Se você quiser assumir um nome mágico, assim que derramar o vinho no chão, diga: DE AGORA EM DIANTE, MEU NOME PERANTE OS DEUSES É (diga seu nome mágico).

Mantenha suas mãos abertas e voltadas para os céus. Feche os olhos e visualize dois raios brancos de luz brilhante descendo dos céus e penetrando a palma de suas mãos. Uma sensação morna de formigamento se espalhará pelo seu corpo à medida que o poder do amor da Deusa e do Deus purificar sua alma.

Não se assuste se começar a ouvir uma voz (ou vozes) falando dentro de sua mente, como por telepatia. São a Deusa e o Deus dentro de você, revelando sua presença.

Embora nem todos os wiccanos ouçam ou percebam as verdadeiras palavras ditas pela Deusa ou pelo Deus - alguns sentem sua presença divina e seu amor - não é incomum que as deidades pagãs falem diretamente com um(a) Bruxo(a) recentemente iniciado(a), especialmente se você for sensitivo(a).

Permaneça no círculo sagrado até que as velas e o incenso terminem. E, então, encerra-se o Ritual de Iniciação Pessoal.

O seu nome mágico deverá ser conhecido somente por você. O Ritual de Iniciação Pessoal é uma data de muita alegria; portanto, não fique preocupado se errar algumas palavras ou esquecer alguma coisa. Nem precisa ficar preocupado se você não souber falar palavras bonitas. O mais importante é o que está em seu coração, e os Deuses conhecem muito bem as palavras sinceras. Se você não tiver os materiais necessários ou um ambiente propício, improvise dentro das suas condições. Use a imaginação, pois o mais importante é o Amor e a Devoção pelos Deuses.

Circulo Magico

Antes da perseguição aos Pagãos ocorrida na Inquisição, todos os rituais sagrados da Bruxaria eram realizados na Natureza, a morada sagrada dos Deuses, geralmente no interior de Círculos de pedras, semelhantes a Stonehenge, erigidas ao longo de linhas de poder existentes sobre a Terra, lugares estes de grande magnetismo e força.

Porém, quando começou a perseguição à Bruxaria, esses locais foram destruídos pela religião conquistadora, e nossos ancestrais foram obrigados a praticar seus rituais em suas casas, longe de olhos estranhos. Foi a partir daí que o Círculo Mágico passou a ser utilizado nos rituais da Bruxaria.

Traçar um Círculo Mágico precede qualquer ritual Wiccano. É uma forma simples de sacralizar* a área que será utilizada de forma que esta se torne condigna aos Deuses e energias invocados no decorrer de um ritual. Ele é traçado no início de cada cerimônia e destraçado no final dela.

Traçar um Círculo Mágico significa estabelecer uma ponte entre o mundo físico e o mundo dos Deuses, entre o visível e o invisível. No interior de um Círculo Mágico devidamente sacralizado, estamos além do tempo e do espaço. Ele é uma esfera de energia capaz de estabelecer uma conexão entre o nosso mundo e outros planos.

O Círculo Mágico marca o início de um ritual. Geralmente ele é traçado quando percorremos a área ritual por três vezes consecutivas, com nosso Athame ou Bastão. Em seguida os elementos da Natureza são convidados a partilhar do ritual, bem como a Deusa e o Deus.

O Círculo é tido como o melhor meio de preservar e conter a energia criada durante um ritual, por isso é imprescindível em qualquer prática ritualística.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Vivendo a Lua Cheia de Cada Mês

A Lua Cheia exerce grande poder sobre a nossa vida e deve ser celebrada de modo especial. Aí estão os rituais realizados na primeira noite de Lua Cheia de cada mês do ano. Fique de olho no calendário e celebre a Lua!



JANEIRO: Comemore a primeira Lua Cheia do ano acendendo uma vela branca no primeiro degrau de uma escada de sua casa (pode ser uma escada simbólica, feita com livros, por exemplo). Isso significa que você está disposto a receber todas as Luas do ano com amor e fé. A Lua agradecerá e um importante elo de Magia se fará entre vocês.

FEVEREIRO: A Lua Cheia de Fevereiro pode presentear você com um mágico amuleto. Colha sete folhas de árvores diferentes e deixe-as "dormindo" sob uma pedra da lua nesta noite. Na manhã seguinte, coloque as folhas em um saquinho da cor do seu signo e leve-o com você. Este amuleto lunar tem o poder de aumentar nosso magnetismo pessoal.

MARÇO: Este é o mês do Ritual dos Elementais. Para atraí-los faça nessa noite uma "cara de maçã" utilizando cravos-da-Índia para fazer os olhos, nariz e boca. Coloque a maçã em um recipiente com um pouco de água e deixe dormir no batente da sua janela. Esta antiga brincadeira atrai os elementais, que trazem ao lar a Magia e a alegria.

ABRIL: Na Lua Cheia de Abril, devemos fazer uma Magia em homenagem aos Elfos. Coloque em sua janela doces e balas coloridas dentro de um círculo feito com açúcar e vá dormir. Dizem que, nesta noite, os elfos saem para dançar e agradecem sua oferenda, proporcionando dias de muita alegria.

MAIO: A Lua Cheia de Maio deve ser dedicada à busca do amor verdadeiro. Se você ainda não encontrou o seu, esta é uma boa oportunidade. Nesta noite, olhe para a Lua e peça que ela lhe traga o seu amor verdadeiro. A Lua de Maio é a Lua dos Amantes. Dizem que, do alto, ela sempre encontra a nossa metade e traz até nós.

JUNHO: A Lua Cheia de Junho tem de ser bem festejada! Dizem que esta é a Lua da alegria, da dança e da música. Nesta noite divirta-se com a Lua! Vista-se de branco, coloque uma música e dance a Dança da Lua com seus próprios passos, obedecendo sua intuição. A Lua emocionada vai agradecer. E é incrível como esse ritual tem o poder de nos revigorar!


JULHO: A Lua de Julho é a Lua das Crianças, a Lua de contar histórias. Uma lenda antiga diz que quem contar uma história muito bem contada para alguém, nesta noite, constrói seu destino, pois a Deusa Lua tem, neste dia, o poder de transformar as histórias contadas em histórias reais. A criatividade é seu instrumento; e o resultado, seu destino!

AGOSTO: A Lua Cheia de Agosto é a Lua da Fertilidade. Faça uma Magia com esse fim. Peça um caminho fértil e próspero fazendo nesta noite o plantio simbólico dos grãos. Pegue onze grãos diferentes e enterre-os nessa noite. Eles simbolizam o potencial que todos temos. Peça à Lua que transforme esse potencial em realizações. Esta é a noite ideal para isso.

SETEMBRO: A Lua de Setembro ensina uma Magia amorosa muito especial. Faça um desejo de amor. Coloque em um pires sete pétalas de rosas e deixe-as sob o luar. No dia seguinte, verifique quantas pétalas foram levadas pelo vento. Quanto maior o número de pétalas levadas, maiores as chances de ver seu desejo realizado.

OUTUBRO: Esta é a "Lua das Bruxas". Aproveite e faça uma Magia antiga. Acenda uma vela branca e peça paz, uma rosa e peça amor, e uma amarela e peça prosperidade. Do lado de cada vela, deixe um botão de rosa da mesma cor. No dia seguinte, ofereça o botão branco para quem precisa de paz, o rosa para quem precisa de amor e o amarelo, prosperidade. É oferecendo que se recebe. A grande sabedoria está em saber dividir.

NOVEMBRO: A Lua Cheia de Novembro é a "Lua do Portal", pois é por ela que os seres mágicos que invadiram nosso mundo (Haloween) voltam para seus mundos encantados. Devemos despedir-nos deles agradecendo por todas as alegrias que deixaram. E se nesta noite puder observar a Lua, verá uma pequena multidão de seres entrar por ela.

DEZEMBRO: A última Lua Cheia do ano ensina uma Magia de fé. Nesta noite, faça uma lista com todos os desejos que realizou durante o ano. Conte quantos foram, enterre um grão qualquer para cada desejo realizado e agradeça à Deusa da Magia. peça a renovação de sua fé para que, no próximo ano, muitos outros "grãos de desejos" possam ser plantados.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Propriedades Mágicas e Encantamentos com Plantas Relacionadas ao Elemento Ar

Anis-estrelado - poderes psíquicos, sorte: Queime ou use as sementes do anis-estrela para aumentar o poder psíquico. Em um dia com bastante vento, espalhe as sementes, para trazer sorte.

Benjoim - purificação, prosperidade: Queime benjoim para limpar um aposento das vibrações indesejáveis. Misture-o com franco-incenso e queime na Lua Nova para clarear a confusão e aumentar os poderes psíquicos.

Lavanda -- amor, proteção. Use óleo de lavanda para suavizar a mente e o corpo e trazer visões de amor. Misture lavanda com sálvia e queime na Lua Minguante para purificar e proteger a casa.

Pinho - cura, dinheiro: Queime pinho para clarear o ar e ajudar nos problemas respiratórios. Misture-o com eucalipto e queime para melhorar a vida e trazer dinheiro.

Sálvia - sabedoria, proteção: Use óleo de sálvia pra clarear confusão. Coloque folhas de sálvia sob um tapete para proteger a casa contra negatividade. Queime sálvia na Lua Minguante para proteção.

Erva-doce - purificação espiritural: Queime erva-doce para invocar bons espíritos. Misture-a com lavanda e queime para proteger a casa de espíritos indesejáveis.

Fonte: O Grande Livro de Magia da Bruxa, Lady Sabrina, Editora Madras

Propriedades Mágicas e Encantamentos com Plantas Relacionadas ao Elemento Água

Babosa - amor, força. Queime babosa para atrair amor e boa sorte. As altíssimas vibrações espirituais atrairão amor se você carregar consigo a babosa ou usa o incenso.

Cereja - amor, adivinhação. Misture uma gota de óleo de cereja com 3 de orquídea e 3 de violeta e use para atrair amor. Adicione um pouco de óleo de cereja à baunilha e cristais de mirra e queime durante o processo de adivinhação para revelar seu verdadeiro amor.

Gardênia - amor, paz, cura. Queime incenso de gardênia para criar uma atmosfera de paz e amor. Use pétalas de gardênia para atrair bons espíritos e amor.

Jasmim - amor, dinheiro, sonhos proféticos. Use óleo de jasmim para atrair amor espiritual. Misture 3 gotas de óleo de jasmim com lascas, ou pó, de sândalo e franco-incenso e queime, para ter sonhos proféticos.

Lilás - proteção. Plante Lilás em jardineiras sob as janelas ou em volta da casa para proteção. Misture óleo de lilás com lascas, ou pó, de sândalo e queime, para proteção.

Rosa - amor, sorte, poder psíquico. Banhe-se com água de rosas para atrair amor. Faça um colar com caules de rosas, sem espinho, para atrair amor. Pétalas de rosa espalhadas em volta do quarto e da casa trazem paz e harmonia.

Fonte: O Grande Livro de Magia da Bruxa, Lady Sabrina, Editora Madras

Propriedades Mágicas e Encantamentos com Plantas Relacionadas ao Elemento Fogo

Pimenta da Jamaica - dinheiro, sorte. Use o óleo de pimenta da jamaica para aumentar a sorte. A pimenta da jamaica pode ser adicionada ao incenso para atrair dinheiro.

Manjericão - amor, riqueza, proteção. Coloque manjericão na comida ou salpique ao redor da casa para atrair amor. Leve um pouco em uma bolsinha para atrair dinheiro e riqueza. Faça uma guirlanda de manjericão amarrada com fita vermelha e preta para proteção.

Cravo (a flor) - força, cura. Use óleo da flor de cravo para ganhar força física. Adicione-o ao franco-incenso e queime, para proporcionar cura.

Franco-incenso: espiritualidade. Queime óleo de franco-incenso para consagrar os lugares de rituais. Esfregue este óleo em velas que serão usadas no altar.

Galangal: dinheiro, sensualidade, proteção, poder psíquico. Espalhe galangal em pó pelo chão para atrair boa sorte e dinheiro. Carregue consigo pedaços de galangal para atrair dinheiro. Ele também pode ser queimado como incenso para aumentar os poderes psíquicos e espalhado embaixo da cama para despertar sentimentos de sensualidade.

Heliotrópio: desejos, dinheiro, cura. Use heliotrópio para atrair dinheiro. Queime incenso de heliotrópio para atrair dinheiro e realizar desejos.

Laranja: adivinhação, amor, sorte, prosperidade. Misture casca de laranja seca, pétalas de rosa e botões de lavanda para fazer um sachê de atrair amor. Passe na testa óleo de laranja antes de tentar qualquer arte de adivinhação. Misture laranja e pimenta da jamaica e use para boa sorte.

Alecrim: amor, sensualidade, cura, proteção. Queime alecrim e lavanda para proteção e cura. Coloque um ramo de alecrim debaixo do travesseiro da pessoa amada para ela sonhar com você. Esfregue óleo de alecrim em velas verdes para atrair amor e sensualidade.

Fonte: O Grande Livro de Magia da Bruxa, Lady Sadrina, Editora Madas

Propriedades mágicas e encantamentos com plantas relacionadas ao elemento Terra

Madressilva: dinheiro, proteção. Use óleo de madressilva para atrair dinheiro. Misture o óleo com pouco de verbena para proteção. Queime incenso de madressilva na noite de Lua Nova para atrair dinheiro.

Magnólia: fidelidade. Use óleo de magnólia para manter fiel a pessoa amada. Queime incenso de magnólia no quarto para garantir um relacionamento fiel.

Patchouli: dinheiro, sensualidade. Use óleo de patchouli para incitar a paixão na pessoa amada ou desejada.

Verbena: proteção, purificação, juventude. Misture os óleos de verbena e patchouli e use-os como véu de proteção poderosa. Misture verbena com sálvia para limpar sua casa de influências negativas. Uma gota de óleo de verbena dentro de seu travesseiro fará com que você se sinta sempre jovem.

Vetiver: amor, sorte, dinheiro. Use uma gota de vetiver para atrair amor e dinheiro.

Fonte: O Grande Livro de Magia da Bruxa, Lady Sabrina, Editora Madas

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Instrumentos

Estes são alguns intrumentos utilizados na Wicca. Mas lembre-se: o mais importante nos rituais e encantamentos são a sua intenção, a força do seu pensamento, sua imaginação e concentração para visualizar o seu objetivo. Não são os intrumentos que fazem de você um wiccano.


O altar

Sempre que possível, uma bruxa deve ter seu Altar, que deverá ser seu ponto de ligação com os Deuses. Não precisa ser nada complicado ou luxuoso. Tradicionalmente, ele deve ficar ao Norte. Uma vela preta é colocada a Oeste simbolizando a Deusa, e uma vela branca a Leste para o Deus. No Altar deve estar o Cálice e o Athame, o Pentagrama, a Varinha e outros objetos utilizados nos rituais. Também é comum se colocarem símbolos para os Quatro Elementos, como uma pena para o Ar, uma planta para a Terra, uma vela vermelha ou enxofre para o Fogo, e, logicamente, água para esse mesmo elemento. Muitas pessoas colocam um símbolo para a Deusa e o Deus, como uma concha e um chifre, ou mesmo estátuas e gravuras dos Deuses. Deve ser criativo, pois o Altar é o um espaço pessoal, onde deve ser colocado amor. Se, por algum motivo, não for possível montar um Altar, pode ser um espaço na sua imaginação, pois o verdadeiro Templo está dentro de você, ou vá para a Natureza e faça dela o mais lindo de todos os santuários.


Pentáculo

O Pentáculo é normalmente um disco, um prato de metal ou madeira com a figura de Pentagrama dentro de um círculo. Ele é usado para consagrar várias outras ferramentas. É também utilizado como um ponto focal de concentração. É associado ao elemento Terra e seu ponto cardeal. Alguns Bruxos usam um Pentáculo para invocar qualquer elemento da Natureza. Você poderia fazer seu próprio Pentáculo com argila ou com uma pedra, pintando o símbolo do Pentagrama sobre o material escolhido. Ele é utilizado para consagrar ervas e para carregar magicamente um talismã ou qualquer instrumento que precise de uma dose de energia extra, e é utilizado também para proteção. Representa a ligação do Bruxo com os Deuses.


Chave Mágica

Para fazer uma chave mágica recorra aos materiais que a Natureza oferece, como gravetos, folhas etc. Faça a chave mais bonita que puder. Com ela você será capaz de abrir todas as portas. Pendure-a na entrada do seu quarto; sempre que tiver um desejo profundo, pegue a chave sem sua mão e com sua imaginação abra a porta que esconde seus desejos.


Sino

O sino de cristal ou de latão é freqüentemente usado pelos bruxos para sinalizar o início e fechamento de um ritual ou Sabbat, para invocar um espírito ou deidade em particular e para despertar os membros do Coven que estão em meditação. Os sinos são tocados também em vários ritos funerários wiccanos para abençoar a alma do bruxo que cruzou o reino dos mortos.


Livro das Sombras

O livro das sombras (também conhecido como Livro Negro) é o diário secreto no qual o bruxo registra seus encantamentos, invocações, rituais, sonhos, receitas de várias poções pessoais e outros assuntos. Um livro desse tipo pode ser mantido por um indivíduo em separado ou por todo um coven. Quando ocorre a morte do bruxo, o livro das sombras pode ser passado para seus filhos ou netos, mantido pela Alta Sacerdotisa e pelo Alto Sacerdote do coven (se o bruxo for membro de um deles no momento de sua morte) ou queimado para proteger os segredos da arte. Qualquer que seja a decisão tomada, ela naturalmente depende dos costumes daquela determinada tradição wiccana ou da vontade pessoal do bruxo.


Punhal ou átame (athame)

O punhal é uma faca ritualística com cabo preto e lâmina de fio duplo, tradicionalmente gravada ou cunhada com vários símbolos mágicos e astrológicos. Representa o antigo e místico elemento ar, símbolo da força da vida, e é usado pelos bruxos para traçar círculos, exorcizar o mal e as forças negativas, controlar e banir os espíritos elementais, guardar e direcionar a energia durante os rituais. Utiliza-se o punhal com cabo branco (bolline) somente para cortar varetas, colher ervas para magia ou para cura, esculpir a tradicional lanterna de Samhain e gravar runas e outros símbolos mágicos em velas e talismãs.


Bolline

O Bolline é uma faca com o cabo branco. Ele é utilizado na colheita de ervas, na construção de talismãs e amuletos mágicos. Existem alguns modelos de Bolline na forma de uma pequena foice, totalmente de prata, em alusão ao antigo Instrumento dos Druidas para a colheita de ervas que possuía esta forma. Ele é um Instrumento opcional, visto que muitos Bruxos usam o átame para desempenhar a função de colher as ervas e construir talismãs.


Vareta

A vareta (também conhecida como Bastão de Fogo) é um bastão fino de madeira, feito de um galho de árvore. Representa o antigo e místico elemento fogo, é símbolo de força, de vontade, e de poder mágico do bruxo que o possui. A vareta de acordo com vários compêndios de magia, deve ter aproximadamente 50 cm de comprimento. é usada para invocar as salamandras (elementais do fogo) em determinados tipos de rituais, traçar círculos, desenhar símbolos mágicos, direcionar a energia e mexer bebidas no caldeirão. Varetas de freixo são usadas em ritos de cura, as de sabugueiro para consagração e banimentos, as de acácia e aveleira para todos os tipos de magia "branca". As de carvalho servem para magia druídica e solar. Em magias lunares para invocar à Deusa, magia de desejo e ritos de cura usamos varetas de salgueiro e sorveira.


Caldeirão

O caldeirão é um pequeno pote escuro de ferro fundido que combina simbolicamente as influências dos quatro antigos e místicos elementos e que representa o ventre divino da Deusa Mãe, sendo utilizado pelos bruxos para vários propósitos como ferver poções, queimar incenso e guardar carvão, flores, ervas ou outros elementos mágicos. O caldeirão pode ser usado também como instrumento para divinação - muitos bruxos enchem seu caldeirão com água na noite de Samhain e os utilizam como espelho mágico para olhar o futuro ou o passado.


Cálice

O cálice (também conhecido como taça ou vaso sagrado) representa o elemento água e é usado no altar durante os rituais.


Colher de Pau

A colher de pau da cozinha pode transformar-se num potente instrumento mágico. Escolha uma colher nova e passe-a nove vezes pelo fogo. Depois, mergulhe-a na água e por fim jogue sobre ela três pitadas de sal. Use-a normalmente na cozinha, impregnando seus alimentos com amor. E não pense duas vezes antes de usá-la como "varinha de condão".


Espelho Mágico

Esta é uma antiga prática irlandesa muito utilizada pelos camponeses. Pegue um espelho e unte-o com uma mistura de sal e limão. Aguarde uma noite de Lua Crescente e "aprisione-a" no espelho (refletindo nele sua imagem). Seu espelho estará magnetizado, sempre que quiser peça para que a Luz, que agora mora dentro dele, ilumine seus caminhos.


Espada Cerimonial

A espada cerimonial representa o elemento fogo e é o símbolo da força do bruxo. Em certas tradições wiccanas, a espada cerimonial é usada no lugar do punhal de cabo preto pela Alta Sacerdotisa do coven, para traçar ou apagar um círculo. A espada, como o punhal, pode também ser usada para controlar e banir espíritos elementais e para guardar e direcionar a energia durante os rituais.


Vassoura

A vassoura é símbolo do magistério feminino e das forças purificadoras da natureza. Até hoje é costume "limpar" as energias negativas de uma casa varrendo-as para fora com uma vassoura desenhada com símbolos mágicos (pentagrama, círculo, taça, espada).


Buril

O buril é um ferro de gravar usado por muitos bruxos e magos para marcar ritualisticamente nomes sagrados, números, runas e vários símbolos mágicos e astrológicos em seus punhais, espadas, sinos de latão do altar, joalheria metálica e outras ferramentas da magia.

Sobre Wicca

A Wicca é uma religião em que não existem livros sagrados, nem profetas a justificá-los, hierarquia ou dogmas.
Não faz apelo a uma fé única e exclusiva, não tem mandamentos e promove acima de tudo o respeito e a diversidade.
Não é também um sincretismo religioso porque vários sincretismos são possíveis. é uma escolha pessoal para aqueles que sentem que a sua percepção do sagrado não só não se enquadra nos esquemas tradicionais como é algo demasiado individual para se sujeitar a conjuntos de regras e crenças que outros determinaram.
As poucas regras existentes na Wicca têm um caráter essencialmente funcional e são vistas não como mandamentos de qualquer divindade ou profeta iluminado, mas como simples normas de relacionamento entre pessoas que partilham interesses comuns.
São apenas alguns princípios genéricos ligados a valores ecológicos e individuais de largo consenso e à liberdade de expressão da religiosidade como é sentida e recriada por cada um.

O seu espírito está bem patente na regra básica "Faz o que quiseres desde que não faças mal", a única regra que todos os membros da Wicca procuram seguir.

A Wicca tem a sua maior implantação nos países anglo-saxônicos, onde a longa tradição democrática e o Protestantismo permitem um maior individualismo - chamando a estes praticantes de Bruxos Solitários. E para além das práticas individuais, os wiccanos agrupam-se em pequenos núcleos, tradicionalmente de 13 pessoas - ao qual chamamos de Coven. Cada Coven possui as suas regras e tradições; e ainda podem juntar-se em grandes encontros. Nestes encontros estendem-se ao campo religioso os princípios de liberdade de expressão e de associação já há muito aplicados em outros setores da sociedade.
Ao contrário de outras religiões e de outras organizações, não existe aqui uma estrutura hierárquica nem uma autoridade central.
Os wiccanos recomendam àqueles que buscam a Arte, que aceitem esses poucos princípios básicos:
Nós praticamos ritos para nos alinharmos ao ritmo natural das forças vitais, marcadas pelas fases da Lua, e aos feriados sazonais.
Nós reconhecemos que nossa inteligência nos dá uma responsabilidade única em relação a nosso meio ambiente. Buscamos viver em harmonia com a Natureza, em equilíbrio ecológico, oferecendo completa satisfação à vida e à consciência, dentro de um conceito evolucionário.
Nós damos crédito a uma profundidade de poder muito maior que é aparente a uma pessoa normal. Por ser tão maior que ordinário, é às vezes chamado de "sobrenatural", mas nós o vemos como algo naturalmente potencial a todos.
Nós vemos o Poder Criativo do Universo como algo que se manifesta através da Polaridade - como masculino e feminino - e que ao mesmo tempo vive dentro de todos nós, funcionando através da interação das mesmas polaridades masculina e feminina. Não valorizamos um acima do outro, sabendo serem complementares.
Nós reconhecemos ambos os mundos exterior e interior, ou mundos psicológicos - às vezes conhecidos como Mundo dos Espíritos, Inconsciente Coletivo, Planos Interiores, etc. - e vemos na interação de tais dimensões a base de fenômenos paranormais e exercício mágico. Não negligenciamos qualquer das dimensões, vendo ambas como necessárias para nossa realização.
Nós não reconhecemos nenhuma hierarquia autoritária, mas honramos aqueles que ensinam, respeitamos os que dividem maior conhecimento e sabedoria, e admiramos os que corajosamente deram de si em liderança.
Nós vemos religião, mágica, e sabedoria como sendo unidas na maneira em que se vê o mundo e se vive nele - uma visão de mundo e filosofia de vida, que identificamos como Bruxaria ou o Caminho Wiccano. Chamar-se "Bruxo" não faz de você um Bruxo - assim como a hereditariedade, ou a coleção de títulos, graus e iniciações. Um Bruxo busca controlar as forças interiores, que tornam a vida possível, de modo a viver sabiamente e bem, sem danos a outros e em harmonia com a Natureza.
Nós reconhecemos que é a afirmação e satisfação da vida, em uma continuação de evolução e desenvolvimento da consciência, que dá significado ao Universo que conhecemos, e a nosso papel pessoal dentro do mesmo. Nossa única animosidade acerca da Cristandade, ou de qualquer outra religião ou filosofia, dá-se pelo fato de suas instituições terem clamado ser "o único verdadeiro e correto caminho", e lutado para negar liberdade a outros, e reprimido diferentes modos de prática religiosa e crenças.
Não nos sentimos ameaçados por debates a respeito da História da Arte, das origens de vários termos, da legitimidade de vários aspectos de diferentes tradições. Somos preocupados com nosso presente e com nosso futuro.
Nós não aceitamos o conceito de "mal absoluto", nem adoramos qualquer entidade conhecida como "Satã" ou "o Demônio" como defendido pela Tradição Cristã. Não buscamos poder através do sofrimento de outros, nem aceitamos o conceito de que benefícios pessoais só possam ser alcançados através da negação de outros. Trabalhamos dentro da Natureza para aquilo que é positivo para nossa saúde e bem estar.